quarta-feira, 4 de julho de 2012

Marieta


Laura recusou estar presente no jantar mensal que um grupo de amigas realizava já há alguns anos. Tinham sido colegas na escola, no Liceu e finalmente na Faculdade. Depois, a vida profissional e sentimental separou-as um pouco mas decidiram que, todos os meses, se reuniriam para um jantar para estreitar laços e saber umas das outras.
Laura dizia:
- Não posso ir, a Marieta faz anos e a família decidiu dar-lhe um aniversário diferente. É uma questão de amor e gratidão.

- Mas quem é a Marieta?
- Não me digam que não se lembram dela! Marieta é a nossa empregada que está connosco desde que nascemos, faz parte de todas as nossas memórias.
- Temos uma vaga ideia… Bem, faz lá a tua festa de caridade com a condição de nos contares tudo. 
Laura não gostou do tom um pouco ofensivo das amigas. Marieta… bom, Marieta era a Marieta e estava tudo dito!
A caminho da casa dos pais, Laura questionava-se sobre quantos anos faria Marieta. Talvez nem ela o soubesse… Um dia, quando o irmão mais novo lhe perguntou pela idade, viu-a contar pelos dedos. No princípio, quando ela foi lá para casa vinda de uma aldeia da Beira, era ainda uma adolescente. A mãe, ainda sem os quatro filhos, dedicou-se a ensinar-lhe a ler e a fazer contas. Marieta, muita contrariada, lá aprendeu o mínimo dos mínimos. Preferia a limpeza da casa e cozinhar e neste reino tornou-se uma fada.
Um dia, Laura, ainda garotinha, perguntou-lhe se nunca pensara em casar. Sorriu intimidada. Casar… Disse que não pensava nisso mas volvido tanto tempo Laura acreditava que teria sido o maior sonho dela. Entretanto nasceram os restantes irmãos de rajada e Marieta dedicou-se de corpo e alma aos filhos adoptados, como ela dizia.
No seu egoísmo de crianças afirmavam muitas vezes: a Marieta não precisa de casar e ter filhos… tem-nos a nós! A mãe concordava e recordava as noites que ela perdera com eles, o carinho com que os criara e a ternura e orgulho com que acompanhava o êxito dos “seus meninos”, sabia bem que lhe devia mais de vinte anos de fidelidade e trabalho. Foram anos em que Marieta tomou conta da parte mais feia e pesada daquela casa. Como pagar-lhe tanta dedicação?
Por mais que todos lhe dessem um pouco de si, Marieta ficaria sempre com as sobras.

Herdava os vestidos e sapatos das três mulheres da família e ficava encantada. A mãe pensava que a tratava bem, melhor que muitas das suas amigas o faziam com as suas empregadas e admirava-se do chorrilho de queixas que estas desfiavam a propósito das mesmas.
- Tens sorte em ter uma Marieta!
Seria sorte ou o respeito mútuo que sempre existira naquela relação de patroa e empregada?
Neste aniversário todos queriam dar a Marieta um dia diferente, muito melhor que os anteriores. Só o irmão mais novo vivia ainda com os pais. O outro a seguir estava ausente, trabalhando em Espanha e as duas raparigas, já casadas, tinham as suas próprias casas.
Enquanto conduzia, Laura tinha pena que o irmão não estivesse presente para que Marieta tivesse a alegria de ter todos os seus pintainhos à sua volta. A mãe contratara um serviço de catering e empregados e deu o dia de folga a Marieta para que se fosse pôr bonita.
Ela merecia, pelo trabalho, dedicação, sofrimento e a lida não só de uma casa mas de uma família inteira.
“Marieta, o meu vestido está passado? E o meu fato, tenho uma reunião importante… Marieta, logo há visitas para o jantar, são mais quatro pessoas… Marieta, Marieta… E ela desdobrava-se sempre com um sorriso. Agora diz que está cansada, que se sente velha… tem pouco mais de quarenta anos. Que importa a idade? Quando se principia tão cedo e quando os dias são tão cheios, valem o dobro. E se ela tivesse estudado, frequentado a faculdade, movido noutra sociedade… talvez fosse minha colega, pensava Laura. Afinal era tudo uma questão de acaso, apenas isso.
Quando Marieta entrou a família já estava reunida na sala, cada um com um presente na mão.
Saltaram-lhe as lágrimas e fez-se um silêncio comovido.
Laura como filha mais velha tomou a dianteira e disse:
- Ora vamos lá cantar os parabéns.
Quando lhe deu um beijo e a apertou num abraço, Laura sentiu a sua pele macia e um perfume muito agradável. E porque não? Reparou que as mãos não estavam encardidas e até tinha as unhas pintadas. Sentiu uma enorme ternura e teve a certeza que Marieta fazia definitivamente parte da família. Quando se sentaram à mesa, a campainha da porta tocou.
- Eu vou abrir - Disse Marieta.
- Nem pensar! Eu vou. - Respondeu Laura.
Ouviu-se uma voz forte e agradável e um vendaval entrou na sala:
Marieta, venha daí um abraço. Julgavas que eu iria faltar ao teu jantar de anos? – Eis que retornava o “pintainho” ausente.
E ela ria e chorava, dizendo:
- Ai o meu menino grande! Que alegria!


Laura compreendeu então o lugar vazio à mesa e, olhando a mãe, viu-a acenando a cabeça afirmativamente.
Estava tudo combinado antecipadamente. Chegando-se perto da mãe, deu-lhe um beijo e disse-lhe simplesmente:
- Obrigada!

93 comentários:

  1. Great post, love your text.
    Thanks for sharing.
    Wish you a wonderful summer.
    Mette

    ResponderEliminar
  2. Quando a campainha da porta tocou cheguei a pensar que a surpresa seria outra... mas está bem, a história é sua e até presumo que Marieta é mais que o tema dessa cançoneta

    ResponderEliminar
  3. Gostei de ler a história da Marieta e, repito, escreves de uma forma muito agradável.
    Além disso, escolheste bem as duas pinturas e a foto que acompanha o texto.

    (Depois de ter lido a história e me preparava para comentar, este post eclipsou.se !...Voltei agora e comentei atrasado, Graça.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Ai minha querida Graça.
    Uma história bem parecida com a da minha mãezinha quando servia no Carregal do Sal.
    Me levaste à infância a ouvir as histórias dela.
    Grata
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Que lindo conto,Graça!!Nos prendes até o final.Adorei!beijos,chica

    ResponderEliminar
  6. Oi Graça,
    Senti-me emocionada em ler esta história, pois eu também tive a minha Marieta, era Ceição, que foi pra nossa casa aos trinta anos de idade e só saiu aos noventa, quando morreu. Ela foi parte da nossa família.
    Obrigada por esta história, tão bem contada.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  7. Belo e comovente!

    Como sempre ,fiquei presa às tuas palavras.

    Amor com amor se paga!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  8. Minha Querida Amiga Zambeziana:
    Quantas Marietas não existirão por aí, mulheres que nunca foram meninas, que nunca se sentiram pequeninas, que tiveram de crescer depressa e abdicar de tanta coisa em prol dos outros? E que, afinal, podiam, se lhes tivesse sido dada oportunidade para tanto, ser uma de nós, melhores do que nós, chegar mais além do que nós?
    Muito comovente o teu registo! Lindo, lindo, lindo!
    Como preciosos são sempre os teus comentários em "Luz de África". Cada comentário é uma mão cheia de pérolas do Índico, banhadas pela luz de África. Bem hajas.
    Um abraço cheio das gargalhadinhas dos querubins que correm descalços nos mangais da tua Zambézia.

    ResponderEliminar
  9. Olá Graça gostei de ler esta história, pequena mas escrita com uma grande sensibilidade. As fotos são lindas.
    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Amei a tua estória querida!
    E sabes uma coisa Graça eu sou um pouquinho sensivel as estas estórias da vida de muitas Marietas, esta é uma das que recebeu carinho daqueles que ela acarinhava como filhos, que nunca teve, mas conheço outras Marietas que dedicaram suas vidas aos patrões, filhos e afins, esquecendo-se que tinham também uma vida, mas no fim de mais velhas a recompensa foi ingratidão pura, falo de duas irmãs, tias do meu falecido marido.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  11. Olá, Graça

    Uma bela homenagem a todas as Marietas, uma história humana e sensível.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  12. Bela história, Graça. Pessoas como Marieta merecem mesmo uma homenagem. Esquecem-se de si para dedicar-se de corpo e alma aos outros.

    bjs

    ResponderEliminar
  13. Um excelente final de semana pra ti minha amiga querida,,,muita paz, amor e poesias,,,beijos e beijos com flores...

    ResponderEliminar
  14. Bom Dia, Graça! Emocionante.Linda narrativa! Que emoção que Marieta deve ter sentido ao rever o "pintainho". Adoro essa forma de expressar o carinho a um filho ou a alguém bem querido:"pintainho".:)

    Sei o valor desses anjos que nos acompanham. Tenho um anjo desses há 23 anos.

    Um beijo e obrigada por seu carinho lá no Renascendo.:)As meninas agradecem :)

    ResponderEliminar
  15. Nem li, amiga Graça, desculpa.
    Ainda volto, pois os teus textos não deixarei de ler, NUNCA!

    Estou de saída da Blogosfera e não tem retormo.

    Beijinhos doces

    ResponderEliminar
  16. Querida Amiga Graça!

    Pões tanta ternura nos teus textos.Que ao ler-te parece que estou vivendo a história escrita por ti.Aprender a ler e a escrever aprende-se na escola, mas do jeito que tu escreves nasce já com a pessoa, sensibilidade ternura literatura.
    Bom fim de semana,
    Beijinho,
    José.

    ResponderEliminar
  17. Um texto cheio de amor que me enterneceu, e me fez chegar às lágrimas.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  18. Minha amiga quanta ternura, carinho e amizade nesta lindissima história de vida.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  19. Queridíssima amiga, muito bom te ver nesse final de semana que chega de mansinho.Estou aqui, nos cuidados domésticos e sem uma "Marieta" sequer para aliviar-me o fardo, rsrs. Agora, falando sério, posso te dizer que muitas senhoras de boa índole como a Marieta do teu conto, passaram por nossa família. Olha, à medida que ia lendo-te, todas desfilavam em minha mente. Maravilhosas!
    Graça, obrigada por esse momento tão comovente, lindo, lindo, lindo...
    Beijinhos carinhosos e aproveite bem teu sábado e domingo!

    ResponderEliminar
  20. Voltei, para lhe dizer que li duas vezes o texto e que saí daqui comovida. Um bem haja por tazer até mim Marieta.

    ResponderEliminar
  21. Querida amiga, tenha um lindo final de semana. Beijocas

    ResponderEliminar
  22. Lindo blog adorei.
    Um ótima fim de semana bejus.

    ResponderEliminar
  23. Bonitas as tuas histórias, com alma. Quando publicas o teu livro?
    Beijo
    Teresa(Quelimane)

    ResponderEliminar
  24. Conto maravilhoso, cheio de verdades, simplicidade.
    Tenha um abençoado fim-de-semana.Bjs

    ResponderEliminar
  25. Vim agradecer o teu carinho e que honra te ter por lá!Acabo de anexar ao texto! beijos,obrigadão,chica e ótimo domingo!

    ResponderEliminar
  26. OI GRAÇA QUE HISTÓRIA MAIS BONITA,MARIETA GANHOU UM LAR E UMA FAMILIA PARA MUITOS ISTO BASTA A MINHA IRMÃ TEM TAMBEM UMA MARIETA, SENDO QUE A DELA CHAMA-SE ZEFA ESTÁ COM ELA DESDE QUE MINHA IRMÃ CASOUSE CRIOU OS TRES FILHOS DELA , E NO CASAMENTO DO CAÇULA ELE FEZ UMA BONITA HOMENAGEM A ELA, DISSE NO FINAL TER DUAS MÃES E QUE AMAVA MUITO AS DUAS, MAIS PARA MIM ELE AMA MAIS A ZEFA, ESTAVAM SEMPRE JUNTOS PRINCIPALMENTE QUANDO ELE ADOECIA. SÃO COISAS DA VIDA ESTES ANJOS VEM PARA NOS AJUDAR NAS TAREFAS DO LAR .QUE NÃO SÃO FACES UM ABRAÇO QUERIDA E UM FINAL DE SEMANA BEM LEGAL PARA VC. CELINA.

    ResponderEliminar
  27. Olá Graça bom dia:

    Sempre com uma descrição muito completa tu aqui
    publicas os teus posts numa forma muito correcta e
    agradável de ler a todos que aqui vem.

    Não é fácil para quem tem um blog saber publicar
    as coisas de um modo simples e muito averbado a cada
    assunto para que quem as leia saber entender tudo aquilo
    que se publica.

    Tens um certo dom para a forma de as apresentar e que torna
    fácil a todos saber decifrar aquilo que publicas pois o
    resultado desse teu dom está neste momento nos 961 seguidores
    que tu tens deste teu blog, não contando com aqueles que te visitam
    e não são teus seguidores pois aí, mais de 100.000 visitas tal
    como anuncia o teu selo comemorativo é obra para que te sintas feliz
    perante todos aqueles que te estimam e gostam de aqui vir visitar-te
    e saber que aqui encontra sempre posts que nos encantam.

    Para ti boa amiga tudo de bom te desejo e que continues sempre
    aqui como até agora porque, este teu espaço também faz parte de
    todos aqueles que aqui vem.

    Bjos, saúde e muitas felicidades.

    ResponderEliminar
  28. .

    .

    . que linda esta Marieta . ao dedicar uma vida mais.do.que.inteira a uma família . da qual . a.final . também faz parte . e até . de uma forma . nevralgica.mente vital .

    .

    . um bom.domingo,,, . graça .

    .

    . um beijo meu .

    .

    .

    ResponderEliminar
  29. Estou a ler isto e a ouvir uma canção do Tiago Bettencourt que curiosamente complementa ... há sempre um sitio, tudo te vai unir ...

    ResponderEliminar
  30. Graça, que texto maravilhoso!
    Uma bonita história sobre o amor que nasce do cuidado e da dedicação!
    Você tem uma incrível capacidade como escritora...transmitir ternura e delicadeza para quem lê os seus escritos!
    Um beijo enorme!

    ResponderEliminar
  31. Graça querida,

    mais uma vez um texto lindo sobre o amor.
    Tem certeza que vc ainda não escreveu nenhum livro?????
    beijos, apareça lá na cozinha...

    Verônica

    ResponderEliminar
  32. Lindo. Um ótimo final de semana.
    Bjs

    ResponderEliminar
  33. Antigamente acontecia muito isto. As Marietas vinham para as nossas casas e só saiam quando partiam para a melhor.
    Amei o conto e também pela plasticidade da escrita.
    Excelente semana.
    Abração.

    ResponderEliminar
  34. Apenas falta, quando nos presenteia com estas histórias vivdas, que estejamos vários em seu redor, como crianças de olhos abertos a ouvi-las e ao crepitar de uma lareira... ou de uma brisa em fim de tarde... :)

    Obrigado pela beleza do seu comentário. Nao sei se sou digno de tanto mas é gratificante saber que nos credibilizam, mesmo se nós nao o fazemos a nós mesmos...

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  35. Marieta é comovente

    os laços mais-do-que-de-sangue são apertados e bonitos!

    obrigada Graça, pelas histórias sólidas, ternas e antigas

    um beijo

    ResponderEliminar
  36. Acho que me sinto muito à vontade de fazer parte desta festa, porque tenho minha assistente por longos 15 anos (hoje com 70 anos) e começou na minha casa, ainda casada e com a filha pequena, sempre de uma maneira protecionista, maternal, inda que dominando de forma segura às rédeas de uma família que não era a dela.

    Já vivemos tudo que é situação e quando tive a tristeza da separação,foi a minha segunda mãe como é até hoje. Como ela mesmo diz:
    - a sra.não é minha patroa é minha filha/amiga. E eu, digo o mesmo.

    Minha filha, hoje com 22 anos, por casualidade me enviou um torpedo (foi passear numa cidade longe) perguntando pela D. Nena que havia lhe dito que estava preocupada com ela pela gripe que pegou. Dei-lhe remédio e sei que está bem agora.Mas minha filha disse ontem a noite pelo celular quase onze horas da noite:
    - mãe! liga pra Nena e vê como ela tá... estou preocupada com ela e diz que amo ela.Penso que a vida é isto... almas que se encontram e, com a sinceridade no coração, irão ficar para sempre em nossas vidas.

    Um beijo muito carinhoso, nova amiga que é Graça, como eu, Maria da Graça.

    Porto Alegre - RS - Brasil

    ResponderEliminar
  37. Minha querida Gracinha

    As tuas histórias são tão bem escritas que nos sentimos a fazer parte delas...MARAVILHOSO o teu dom de passares emoções.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  38. Olá Graça! Prazer estar aqui nesse seu blog lindo. Sua história me emocionou porque tivemos aqui tb uma Marieta de nome Maria.Sete crianças recebendo atenção e carinho.Ela era uma pessoa especial. Tenho muitas recordações maravilhosas. Simplesmente inesquecível. Lindo demais seu texto. Parabéns! Grata pela visita. Bjss

    ResponderEliminar
  39. Olá Graça

    Sua história é magnifica, e um lindo amor.

    Gostei muito!
    Beijos e ótima semana!

    ResponderEliminar
  40. Que texto maravilhoso que nos embrulha e emociona... :) Um b eijinhos grande Gracinha

    ResponderEliminar
  41. Muito comovente esta história. Tomara todas as Marietas tivessem o mesmo carinho e a afeição de suas "famílias".

    Beijos

    ResponderEliminar
  42. Muito bom, Graça!! Muito bom mesmo...você está cada vez mais se superando!

    Beijos

    ResponderEliminar
  43. Um conto cheio de emoção e lindo.
    Monhé

    ResponderEliminar
  44. aUSENTE DE MEU BLOG EM PREPARATÓRIO PARA A GUADRAGÉSIMA CIRURGIA,CÁ ESTOY PARA VTE DIZER QUE ÀS LÁGRIMAS FUI,TE LENDO E SORVENDO

    BZUS NO CUORE

    ResponderEliminar
  45. Vim retribuir a sua simpática visita e ainda bem que omfiz. Porque o conto que li é lindo, terno e cheio de amor.Parabéns. Gostei da sua escrita.

    ResponderEliminar
  46. Olá amiga!
    Que belo texto! Que emoção ao lê-lo. Um excelente trabalho. Até sempre.
    M. Emília

    ResponderEliminar
  47. Belo conto para refletir e analisarmos sobre o amor fraterno.

    Sempre belo olhar e admirar tuas obras.

    Um grande beijo, querida.

    ResponderEliminar
  48. Oi Graça!
    Vim conhecer o seu blog e retribuir a sua simpática visita.
    Que conto lindo e de muita sensibilidade, me tocou o coração. Existem muitas Marietas a merecer tamanho reconhecimento.
    Seja bem vinda!
    Beijinhos e tudo de bom!

    ResponderEliminar
  49. Olá Graça! A saudade é a memória do amor...e no silêncio da saudade, nosso coração se aquieta para ouvir a voz dos anjos nos dizendo: o amor é pra sempre, e os que se amam se reencontrarão, sempre.
    Obrigado pela sua visita!
    Beijos
    Bíndi e Ghost

    ResponderEliminar
  50. OI GRAÇA!
    UMA LINDA HISTÓRIA DE GRATIDÃO E RESPEITO POR UM SER HUMANO TÃO DEDICADO.
    ESCREVES COM MUITA LEVESA E DE FÁCIK ENTENDIMENTO.
    ABRÇS
    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderEliminar
  51. Ola Graca, fiquei emocionada de sua historia cheia de amor, gratidao e emocao! Amiga, voce escreve muito agradável, con todo o coracao
    Um abraco grande.

    ResponderEliminar
  52. Graça querida! Lindo demais! U exemplo e uma reflexão para muita gente! O voto é só a partir de 14 de julho, sábado que vem! Uma quarta-feira iluminada!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  53. Hola, un placer leerte y reflexionar. Cuidate mucho.

    ResponderEliminar
  54. O texto, uma delícia!
    E "A leiteira" de Vermeer, um regalo!
    Obrigada pela partilha, Graça****

    ***
    Beijinhos e feliz dia****

    ResponderEliminar
  55. Muito lindo este conto. Há algum tempo que não passava aqui e fiquei emocionada.Gosto do modo como escreve,Parabéns.
    Ligia

    ResponderEliminar
  56. É simplesmente maravilhoso ler as suas histórias. Apetece que não
    acabe.Têm sempre um lado muito humano, muito comovente, muito sentido.
    Desejo esteja bem.
    Beijinho
    Irene

    ResponderEliminar
  57. Que alegria ter sua visita no meu blog, Graça. Que seus dias sejam repletos de luz e energia. Grande Abraços. Cristiano

    ResponderEliminar
  58. Emocionei -me .
    Esta bela estória mostra - nos aqueles sentimentos que tanto nos faz falta , a dedicação e a ternura . O agradecer por gestos .

    Um beijo , Graça ,
    Maria

    ResponderEliminar
  59. Graça

    Que linda história, que conto comovente e emocionante, que prova de gratidão e de amor que deram à Marieta.

    Como já te tenho dito, fico sempre encantada e maravilhada pela maneira como escreves os teus textos, sejam eles contos, factos da vida, recordações, histórias do teu passado, vivências.

    Tens uma vida "rica" em acontecimentos, em locais, em culturas e uma forma sempre encantadora e atractiva de os exprimires através da escrita. Não consegues deixar ninguém indiferente ao que aqui sempre publicas.

    Parabéns.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  60. Graça,és abençoada com as palavras,pois consegue nos emocionar ao lermos o que registra aqui.Seu texto deixou um gostinho de quero mais.Parabéns! Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  61. Hola Gracia, vengo de tu otro blog quice curiosear un rato Zambeziana. Me encantó el relato y la forma en que escribes, deje mi huella para no olvidar el camino de regreso a tan bello lugar.

    Un gran abrazo, Roberto. (Elregresodelsomorgujoasombrado.blogspot.com)

    ResponderEliminar
  62. Hola Gracia, muchas gracias por tu visita y tus palabras.
    Yo también te sigo.Me encanta tu casa.
    UN beso

    ResponderEliminar
  63. Veo que entiendes perfectamente mi sufrimiento porque lo has vivido.
    Espero que nos llegue la serenidad para poder ver pasar el tiempo y que la herida aunque nunca se cierre deje de sangrar.
    Un beso enorme

    ResponderEliminar
  64. Graça,

    Como semprea me distrair com
    tuas fantásticas historietas
    que nos leva a grandes meditações.
    Quisera fosse uma Marieta
    a fazer jus das minhas limitações.

    Sempre bom te lê minha amiga
    sois rica com tantos exemplos
    a contar e não sabes o bem que
    fazes quando compartilhas destas
    verdades que nos leva a refletir...

    Felicidades e afago grande
    no teu coração...

    Bjs

    Livinha

    ResponderEliminar
  65. *
    uma das poucas Marietas,
    que são reconhecidas,
    pelo seu trabalho e dedicação !
    ,
    incenso-te, Graça,
    minha amiga virtual !
    ,
    dedicadas conchinhas,
    ficam,
    *

    ResponderEliminar
  66. Una vez más, la nobleza del corazón me demuestra el digno don de la amistad para continuar alimentándolo a tu lado…

    Un abrazo con ternura
    Y un beso con dulzura

    María del Carmen

    ResponderEliminar
  67. Bonito relato, ser agradecidos es de bien nacidos y la gratitud nos ennoblece.

    Gracias por visitarme.

    Un abrazo.

    ResponderEliminar
  68. Lindo relato de amor nessa homenagem à Marieta. Um abraço, Yayá

    ResponderEliminar
  69. Graça querida que coisa linda...você emociona a gente...MARIETA..que me dera ser...
    amei...
    Obrigada pela visita mesmo na minha ausência...adoro sua visita...linda canção por aqui...beijos sua amiga..titi

    ResponderEliminar
  70. Um belo final de semana pra ti minha amiga....beijos e beijos.

    ResponderEliminar
  71. Olá,Graça!!

    Que texto tão terno!!!A gratidão é uma benção.Pena que nem todos saibam ser gratos.
    Beijos e meu carinho!

    *Belíssima pintura do Renoir no fundo do blog.

    ResponderEliminar
  72. Graça, um abraço grande para você! Gostei de conhecê-la no Vida & Plenitude...
    Esse texto seu é muito bonito e real! Temos casos assim na família e grande gratidão devemos sempre a elas!

    Muita paz...

    ResponderEliminar
  73. OI GRAÇA, PASSEI PARA AGRADECER A TUA VISITA, UM FINAL DE SEMANA BEM LEGAL PARA VC. ABRAÇOS . CELINA

    ResponderEliminar
  74. Paso para desearte Feliz fin de semana.
    Un beso

    ResponderEliminar
  75. Tens uma escrita inconfundivel e linda, Graça.
    É um prazer ler-te.
    beijo.

    ResponderEliminar
  76. Muito prazeiroso ler a sua escrita.
    Sei que voltarei

    Blue

    ResponderEliminar
  77. Lindo Graça! Eu também tive uma " Marieta" que deixei no Brasil, mas até hoje ela permanece no meu coração e no dos meus filhos. Da saúde dela cuido eu, fazendo, através da minha mãe que está no Brasil e perto dela, para que nunca lhe faltem os medicamentos nem outra coisa qualquer. Vim para Portugal e tenho também uma Marieta. As pessoas acham estranho o faCTO DE EU TER SEMPRE SORTE COM AS EMPREGADAS, MAS PENSO QUE ISSO É DEVIDO AO RESPEITO QUE TENHO POR ELAS respeito esse que sempre ensinei os meus filhos a ter. Para mim elas são sempre da família. Elas tratam-me por Dª Emília, mas todos nós sempre as tratamos também por Dª.... Muito obrigada, Graça, por tão belo texto e por mostrares através dele que os nossos empregados são pessoas que nos ajudam e que devem ser tratados com respeito. A Dª Mariana, a minha "Marieta" do Brasil dizia sempre: " quem faz a boa empregada é a boa patroa e quem faz a boa patroa é a boa empregada" Um beijinho, amiga, e um bom fim de semana
    Emília

    ResponderEliminar
  78. Olá Graça, desejo que tudo esteja sempre bem contigo!


    Belíssimo texto, grande expressão do verdadeiro sentimento humano, amor e fraternidade. Antes de ser a empregada, Marieta é também um ser humano, igualmente aos patrões, como no pensamento de Laura, e se ela estudasse, poderiam ter sido amigas da escola!

    Gostei também das lindas imagens a ilustra este belo texto, aliás tudo por cá tem sido sempre tão encantador, parabéns pelo belo espaço de lindos escritos!

    E grato por tuas visitas e amizade eu desejo a você e todos um viver deveras intenso de felicidade, abraços e até mais!

    ResponderEliminar
  79. Ter vc comigo é maravilhoso! Obrigada pelo carinho e sua amizade.
    Obrigada por reservar um cantinho em sua vida. para abrigar o meu amor e carinho.
    obrigada por partilhar comigo.momentos tão sublimes nesta troca gratuita de amizade!
    Que Deus te proteja hoje e sempre.
    Obrigada também por estar sempre comigo
    em todos os momentos da minha vida.
    E através dessa magica telinha que encontrei
    alegria de viver e lutar sempre .
    Aqui tenho amigos reais por isso
    sempre digo.
    Amigos para Sempre.
    Um feliz e abençoado final de semana.
    Beijos no coração,Evanir.
    Não se esqueça que ..
    Estou seguindo -te e te amando.

    ResponderEliminar
  80. Quantas Marietas existirão por aí nesse Mundo sem fim...?
    Um texto muito agradável numa homenagem merecida.
    Felizmente que existem estas pessoas de carne e osso. Elas são simplesmente anjos dentro de cada família.

    ResponderEliminar
  81. Ótimo texto e tão linda homenagem!
    Uma bela noite beijos.

    ResponderEliminar
  82. Oi graça,que prazer senti em ler este texto.Na minha família existiu uma pessoa assim dedicada, como a Marieta. Acompanhou minha adolescência, e depois me ajudou na criação dos meus filhos, em minha própria casa.Hoje somos comadres.Eu tenho o maior respeito por essa pessoa, e também por todas as outras Marietas, e não poderia também deixar de ressaltar a nobreza de pessoas que sabem valorizar o trabalho digno e incansável dessa nossas colaboradoras e amigas.
    Um abraço, obrigada pela presença lá no Expresso do interior.

    ResponderEliminar
  83. Oi Graça!
    São belas as suas recordações, e mais belo é partilhá-las com quem por aqui passa.
    Quanto a esta, naquele tempo havia Marietas bem dedicadas,são familia,hoje mais raro, mas ainda se encontra.Gente que sabe dar o amor e afecto, e que nada pedem.
    Até breve gostei.
    Herminia

    ResponderEliminar
  84. que belo passeio minha mente fez através do seu texto. muito lindo. parabens por investir em seu espaço. abraços lamarque

    ResponderEliminar
  85. Graça passei para desejar um excelente domingo e deixar um beijinho.
    Maria

    ResponderEliminar
  86. AMIGA GRAÇA

    Que belas são as tuas recordações!
    Obrigada por partilhá-las com quem por aqui passa.

    Belo texto e lindas imagens - esta beleza é esmagadora!
    Somos uns privilegiados por podermos usufruí-la.
    Ando com problemas graves de visão, o que me condiciona a vinda ao computador;
    mas...já penso nisso:
    Meu Deus, se eu ficar sem a minha visão, como poderei VIVER...?

    HOJE...
    Festa "Tradições, Sabores e Aromas de Azeitão" com diferentes actividades em Vila Nogueira de Azeitão

    Tasquinhas, provas de vinho, sopa caramela e variados produtos da região da Arrábida compõem a festa “Tradições, Sabores e Aromas de Azeitão”, que se realizou em Vila Nogueira, na Praça da República, em Maio 2012.

    As conversas de taberna e a vida no campo foram a temática desta edição da “Festa do Manel da Horta”, organizada pela Junta de Freguesia de S. Lourenço, com apoio da Câmara Municipal de Setúbal.

    Beijinho.
    BOM DOMINGO

    ResponderEliminar
  87. Olá Graça,
    que beleza de texto! Não é por acaso que recebes tantos comentários!
    Uma boa semana e um abraço

    ResponderEliminar
  88. Olá, Graça.
    Por acaso encontrei seu espaço e estou fascinado pelo cuidado com que o trata. Textos deliciosos, bela música... Gostava de ficar, se me permite.
    Deixo minhas saudações.
    Abraço.
    Gilson (Goiânia, Brasil).

    ResponderEliminar
  89. **

    Tocante, bela e bem contada história, conseguiu envolver-me! Beijokas - Susie

    ResponderEliminar