segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Quentes e... Boas!


O tempo começou pouco a pouco a arrefecer e, como que a anunciar o inverno, apareceram as primeiras castanhas. O pregão – quentes e boas! – era um sugestivo convite para, com uns cêntimos ou um euro, se adquirir um cartuchinho feito com páginas de jornal, em que umas tantas castanhas assadas faziam as delícias de velhos e novos.
Na esquina da grande avenida na cidade, uma carrocinha de castanhas fumegava como se fosse uma chaminé.
Era um postal muito significativo e habitual de um Outono que caminhava bem depressa para o frio do inverno.
- Que engraçado, não vejo ninguém, Nuno - Dizia Lina, desejosa de comer castanhas assadas que lhe pedia sofregamente a sua gravidez já muito adiantada…
Nuno parou o carro mesmo junto às maravilhosas castanhas e saiu para as comprar. Alguém havia de aparecer mas, qual não foi o seu espanto quando viu um garotito com um grande gorro que fazia canudos com folhas de jornais, onde colocaria depois as castanhas para os eventuais clientes.
- Quem é o dono da carrocinha? - Perguntou Nuno.
- Sou eu! - Respondeu o palmo de gente com muito orgulho.
- Tu? Que idade é que tens?
- Nove, senhor. – Disse o rapazito muito empertigado. - A minha mãe está no hospital à espera de vez para ser operada mas o negócio não pode parar, claro!
- Evidente... – Sorriu Nuno. - E a escola? Tens faltado?
- Falei com a professora e ela entendeu o meu problema. – Afirmou ciente da sua responsabilidade.
- E o teu pai não podia agora ocupar o teu lugar?
- Não tenho pai – Disse quase num murmúrio.
Momento de intensa emoção para Nuno que ia ser pai dentro em breve.
- Diz-me como te chamas e em que hospital está a tua mãe.
O pequenito achou a pergunta descabida…
Dali só queriam as castanhas… Qual a razão de tanta pergunta? Mas achou que o senhor era simpático e interessado.
- Chamo-me Pedro e indicou o nome do hospital onde a mãe esperava por um milagre.
- Sabes Pedro, eu sou médico, e por coincidência ou não (talvez seja a mão de Deus) trabalho nesse hospital e vou por a tua mãe capaz de voltar para o seu trabalho, para tu continuares a estudar.
Pedro comoveu-se perante um futuro que, minutos antes, lhe parecia tão distante.
Pegou em dois pacotinhos de castanhas, deu um ao Nuno e debruçado na janela do carro, entregou outro a Lina que tinha os olhos marejados pensando no filho que trazia no ventre.
- Quando nasce? – Perguntou Pedro com carinho.
- Dentro de um mês. – Disse Lina limpando as lágrimas.
- Quanto é Pedro? - E já Nuno abria a carteira…
O garoto levantou a mãozita e o rosto suavizou-se num imenso sorriso.
- É oferta da casa! – E riram os três, naquelas gotas de felicidade que diariamente caiem nas nossas vidas mas que é preciso estar atento para as não perdermos.
O tempo passou e num domingo frio e cinzento, a carrocinha das castanhas continuava na esquina da grande avenida.
Por de trás dela, uma mulher e uma criança faziam pacotinhos com folhas de jornais para colocar as suas castanhas…

 De repente, um carro parou mesmo junto a estas figuras.
- Dois pacotes de castanhas. – Pediu uma voz de dentro do carro…
- Ah, senhor doutor que alegria em vê-lo e tanto que tenho para lhe agradecer.
-A mim? Acredite que não. Há um ser superior que toma conta das nossas vidas. A esse sim, é que deve agradecer.
O garoto aproximou-se e beijou a mão poisada na porta do carro e disse com as lágrimas a escorrer pelas faces frias pelo vento gélido que passava:
- Obrigado senhor doutor…
Nuno saiu e deu-lhe um abraço.
- Já sei que voltaste para a escola e estamos muito contentes. És um herói.
Pedro meteu a cabecita pela janela do carro e olhou Lina e o bebé que dormia docemente ao colo da mãe.
- Como se chama? – Perguntou.
- Pedro, só podia ser Pedro.

83 comentários:

  1. Olá Graça,
    É verdade, há "gotas de felicidade que diariamente caiem nas nossas vidas mas que é preciso estar atento para as não perdermos."

    Infelizmente nem sempre é assim e conseguimos escorraçá-las de uma ou de outra forma. E também não "vemos" os Pedros que há nesta vida.....

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Gotas de ternura e felicidade escorreram agora pelo meu rosto, emocionada com a leitura deste conto...LINDO!
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Belíssima história... comovente mesmo.
    Existem de facto "gotas de felicidade..." , temos é de estar atentas a elas, muito atentas :)
    beijo grande Amiga.

    ResponderEliminar
  4. Beleza de conto, envolvendo muita sensibilidade.As gotas de felicidades caem em todos os momentos em nossas vidas, mas é precisa enxergá-las e não apenas vê-las.
    Abração.

    ResponderEliminar
  5. Amiga Graça, acabei de molhar o teclado e a culpada disso és tu. Linda e comovente história de amor e bondade. São gotas de ternura que tanta gente tem dentro de si. Pena que muitos com a sua teimosia, não as deixem sair. Amei de verdade. Beijos com carinho

    ResponderEliminar
  6. Que lindo isso!Bela homenagem o casal fez ao pedro.Só podia!!Lindo demais e emocionante. Adorei tua interação por lá e está no lugar! Agradeço e fico feliz! beijos,chica e uma linda semana!

    ResponderEliminar
  7. Uma bela e comovente história que me emocionou e me levou ás lágrimas.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  8. Linda e emocionante., e só podia ser Pedro mesmo...
    Bjs.

    ResponderEliminar
  9. Querida amiga GRACIA, muy buenos días, hermosa historia, me he mocionado leyendola, te felicito, te dejo un fuerte abrazo, con cariño. Lola.

    ResponderEliminar
  10. Bela narrativa.

    A proposito de castanhas, já gostei mais de castanhas... hoje já não como tanto.

    Beijokas

    ResponderEliminar
  11. Ola amiga
    vim agradecer a visita e conhecer seu blog...
    Que cantinho acolhedor...te desejo uma semana muito bonita e te deixo mil beijocas.

    ResponderEliminar
  12. Graça, una historia conmovedora y que emociona.
    Abraços

    ResponderEliminar
  13. Simplesmente lindo, minha amiga!... Lindo!

    Beijos

    ResponderEliminar
  14. Emocionei-me!

    Deus coloca um "anjo" no nosso percurso ,enquanto o seu fim não chega!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  15. Olá prezada amiga, desejo que tudo permaneça bem contigo!

    Quando estamos atentos à vida ao nosso redor, não deixamos passar em branco os momentos de intensa felicidade, esta é a verdadeira essência humana, ajudar uns aos outros e, sem cobrar retorno, pois com certeza ele virá em forma de mais felicidade!
    Deveras emocionante este teu relato, aliás, como sempre tem postado por cá, pois sempre que passeio me encanto e me emociona deveras ler teus escritos, parabéns por esta belíssima postagem!
    Gostei deveras desta imagem em branco e preto, da carrocinha ao fundo e do menino servindo a garotinha, linda imagem mesmo, esta luz por trás das crianças...
    E assim eu agradecido por tuas gentis visitas deixo meu desejo que tenha em teu viver sempre esta felicidade intensa, abraços e até mais!

    ResponderEliminar
  16. Hoje o dia está chuvoso, Graça, mas a tua história deixou-me ver raios de sol brilhando por entre as gotas de água. Mas que emocionante!!! Infelizmente, constatamos que os que menos têm são os mais solidários; além disso às vezes me pergunto por que há tantos médicos incapazes de um acto solidário como este? Só gastariam um pouco do seu tempo e fariam muitas pessoas felizes. Parabéns e obrigada pelo texto radioso de tanta luz. Fica bem, amiga. Beijinhos
    Emília
    Emília

    ResponderEliminar
  17. Olá, Graça!

    Lindamente construída esta bonita história cheia de ternura; construída à imagem da forma de sentir de quem a escreveu - "atrevo-me eu a arriscar", sabendo de antemão que acerto...

    Beijinhos;boa semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
  18. Comovente.....lindo....Se não é real...podia ser...
    Se é prosa.....dessa gostei muito....
    Beijo

    ResponderEliminar
  19. História que me encantou e comoveu,bem haja quem assim escreve e nos transmites verdadeiras histórias de vidas.

    Beijo meu.

    ResponderEliminar
  20. Esta sua história me emocionou. Linda narrativa...
    Beijos,
    Élys.

    ResponderEliminar
  21. Uma bela e comovente história de grande humanismo!

    Abraço

    ResponderEliminar
  22. Comovente esta história!
    As "gotas de felicidades" caêm muitas delas nas nossas vidas, mas é necessário estarmos atentos, por vezes estão mesmo à frente dos nossos olhos, mas não as conseguimos ver.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  23. Tu és fascinante na escrita, querida.

    Gosta de sorteios?
    Meu blog está organizando um. O Revelando sentimentos. Te espero por lá.

    Um beijo, Graça

    ResponderEliminar
  24. Uma excelente noite pra ti minha amiga e uma quarta feira cheia de poesias e carinho....beijos e flores...

    ResponderEliminar
  25. Suas histórias são sempre tocantes, minha amiga Gracita, porque coloca todo seu coração arrebatado de sensibilidade ao descrever os fatos. Isto é para poucos... Um enorme abraço!

    ResponderEliminar
  26. Uma história que nos envolve e nos arrebata, cheia de sentimentos nobres e muito bem contada. Um abraço amigo.
    Boa semana, plena de inspiração.
    M. Emília

    ResponderEliminar
  27. A doçura que há na sua história deveria haver sempre no coração dos homens.

    bjs

    ResponderEliminar
  28. Um dos seus posts que mais me comoveu. Ainda estou tremendamente
    comovida.
    Beijinho
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  29. Quanta saudade de te ler!!!
    Graça és fantástica. Os teus quadros pintados com palavras são tão belos, tão ternurentos, tão verdadeiros...
    Um beijo grande amiga.
    Estou a fazer algumas alterações no meu blogue, em breve conto voltar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico tão feliz Carmo!... Penso muito em ti! Diz-me quando tudo estiver "renovado" !!!
      Mil beijos
      Graça

      Eliminar
  30. OI Graça, que alegria te ver aqui em meu Favo. Estou aproveitando para me atualizar com sua novidades prometo passar por aqui mais vezes e desfrutar de belos textos. Um beijo abraços. Iêda

    ResponderEliminar
  31. Lindo e emocionante minha querida amiga.Estas coisas acontecem para que renovemos a fé, a esperança.
    Bom lhe ver e sentir esta força da criação.
    Meu carinhoso abraço.
    Bjo no coração.

    ResponderEliminar
  32. .

    .

    . quentes e boas . as Suas narrativas . as quais . tal como as castanhas . deixam.me sempre . água na boca . em crescendo .

    .

    . muito obrigado .

    .

    . um beijo meu . o de sempre .

    .

    .

    ResponderEliminar
  33. Minha querida Gracinha

    Não tenho palavras para comentar este texto...a emoção tomou conta de mim, é triste e doce ao mesmo tempo.
    Ler-te é um prazer imenso.


    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  34. Oeeeeeeee.......

    Lindo texto, parabéns!!!

    Bjks


    Sonia

    ResponderEliminar
  35. Que maravilha de Texto minha amiga. Como eu gostaria de conhecer tantos outros meninos assim, Pedro, João, Carlos... O mundo, seria, tão pequeno
    e tão grande em emoções.Existem valores que não têm peso nem medida. A felicidade e a simplicidade andam de mãos dadas na vida.
    Fico sempre feliz quando venho aqui.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  36. Minha Querida Amiga,
    como sempre uma bela e sentida história que me comoveu imenso. Nela se revelou uma solidariedade que já não é usual nos nossos tempos de agora!
    Mas ainda me lembro que esta existiu e não vão assim tantos anos... talvez uns 40 a 50 anos! Mas, infelizmente, agora só se pensa no próprio umbigo esquecendo-se esse maravilhoso sentimento de entreajuda agora aqui bem expresso.
    Bem haja por te-lo feito reviver!
    Beijinhos muito amigos e solidários.

    ResponderEliminar
  37. Interessante artigo!
    Obrigado por visitar Graça!
    Desejo-lhe um dia maravilhoso!
    Abrace-o com amor!
    Beijos.

    ResponderEliminar
  38. Ai querida Graça que me levaste às lágrimas.
    Venho hoje, dia do médico e leio isto.
    O amor, quando anda à frente, faz milagres.
    Meu carinho e meu beijinho.

    ResponderEliminar
  39. Excelente, esperança i, a solidariedade e o amor que prevalece nessas palavras, ele poderia passar o resto do mundo, e para sempre, porque realmente é o que é necessário. Uma saudação cordial e um astral de abraço.

    ResponderEliminar
  40. Querida amiga, linda e enternecedora, as vezes com um simples abraço somos felizes. Beijocas

    ResponderEliminar
  41. só podia ser Pedro,

    há coisas que a gente faz, que até Deus dá por isso

    e se fosse menina, seria Maria Castanha que é um nome bonito


    um beijo, Graça

    ResponderEliminar
  42. Pode nem ter acontecido
    Foi bom ter lido...
    Com vontade de que venha a acontecer

    ResponderEliminar
  43. É tão bom ler-te Gracinha! :) Uma viagem maravilhosa! Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  44. Olá querida.
    E logo eu que ADORO castanhas! :)))
    Passei para deixar um beijinho e desejar um ótimo fim de semana.
    M. Céu

    ResponderEliminar
  45. Graça, acho este olhar para o cotidiano, tido como simplório e colocado à margem da paisagem, uma coisa fantástica. Há tantas coisas que valem tanto a pena...e vc colocou tudo muito bem: o grande trabalho poético!

    Beijos

    ResponderEliminar
  46. Adoro a forma como estrutura as suas narrativas, a fluidez da linguagem e a densidade psicológica e humana das personagens! Bjs e bom fim de semana! Por aqui, na serra da estrela, a neve brilha sob o sol.

    ResponderEliminar
  47. Gracinha, meu anjo, estive tão complicada por esses dias, em virtude da sinusite que acometeu meu marido, que nem tenho podido visitar meus amigos. Felizmente, Deus atendeu aos meus rogos e ele já se sente melhor.
    Castanhas portuguesas...ahhhh, eu as adorooooo![risos]
    E adoro-as mais ainda quando você as traz até nós nessa forma amorosa de falar.Fiquei muito enternecida...
    Amiga, um doce final de semana! Mil carinhos!!!

    ResponderEliminar
  48. Graça

    Aqui está um texto tão teu,
    em que um milagre sucedeu.

    Verdade, tudo pode acontecer...
    e todos os dias se dão pequenos milagres,
    mas tenho tanta dificuldade
    em acreditar nesta realidade.

    Adorei o texto
    adorei essa humanidade
    que lá encontrei,
    mas que só encontro em ti
    e no que escreves...

    Lê o meu último poema, por favor
    e aí, sem eu saber o porquê,
    parece-me que te respondo
    e às minhas dúvidas
    que aqui não encontro.

    Talvez o poema
    seja uma resposta ao texto.

    Estranho, pois o poema
    já foi baseado num texto escrito pelo Vitor,
    sobre "a particula de Deus"
    e saíu uma pequena maravilha...

    Abraço grande,

    Maria Luísa

    ResponderEliminar
  49. Graça, amiga!

    Que conto bem lindo. Parabéns! Voltei para os blogs pois como sabes cansei da invasão de propagandas inconvenientes.

    Aparece lá no Life... Living...

    grande beijo
    Anne

    ResponderEliminar
  50. Um conto humano e dedicado às boas ações, mas te conto um segredo: abriram um armazém aqui em Curitiba onde se vendem castanhas portuguesas embaladas e descascadas prontas para o consumo. Comprei, o preço estava bom e estou comendo aos poucos, delícias de Portugal! Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  51. Graça querida, muita paz para todos,um conto muito bonito ao mesmo tempo uma mensagem de amor,que Deus proporciona a todos aqueles que realmente precisa de ajuda, nesta lição Ele ajudou aos dois o garoto e a oportunidade do médico de prestar uma grande caridade, que mais tarde servirá de exemplo na vida desta criança, de ser bom retribuindo de formas diferente a caridade! Um abraço grande Celina

    ResponderEliminar
  52. Querida amiga Graça
    Ao publicar no meu post excertos de dois capítulos quis dar a entender que o livro que estou escrevendo não trata só de momentos alegres e bem dispostos, como acontece nos episódios que anteriormente publiquei, mas também de momentos muito sérios e até em situações de perigo. Lembrei-me que quem eventualmente queira adquirir o livro podia pensar que era um livro “para rir” – ou sorrir – e depois decepcionar-se.

    Gostaria de pensar como tu, que a estrada da vida ainda me vai dar muitas alegrias… mas é muito cedo para ver o futuro por esse prisma.
    É verdade que muitas vezes penso: se as outras conseguiram (e conheço tantas na mesma situação!) porque é que eu não hei-de conseguir? E parece que este pensamento me ajuda a levantar o ânimo.
    Hei-de conseguir! E com a força que me transmites… vai ser menos difícil.
    Obrigada, minha amiga irmã.

    Adorei o teu conto. Comovi-me, ao lê-lo, e uma lagrimita assomou aos meus olhos. Eu ando insuportável. Choro por tudo e por nada, eu, que nunca fui de lágrima fácil! Estou a ficar velha 
    Mas, lagrimita aparte, o conto é mesmo muito bom. E depois… sabes o que eu penso dos teus escritos – têm sempre muita qualidade. E tu escreves duma forma absorvente, essa é que é a verdade.

    E o teu livro? Pareceu-me que está muito prestes a aparecer à luz do dia… Não quero parecer chata, mas já sabes que quero um exemplar.

    Perdoa este comentário tão longo.

    Óptimo fim-de-semana.
    Beijos com todo o meu carinho

    ResponderEliminar
  53. Uma história terna,que emociona, encantada estou com a doçura de seu blog.

    Sou novata, meio perdida, perdida é poucooooo!!!!!....perdidíssimaaaa!!!
    rsrsrsrsrsrs

    Um grande bj!
    Já estou a seguir

    ResponderEliminar
  54. Começo por lhe enviar um beijo a si Graça, por esta história comovente.
    Quantos Pedros andam por aí procurando o próprio sustento mas com uma alma cheia de bondade e de bons sentimentos.
    São quadros cheios de ternura, porque estes heróis existem mesmo e são exemplos vivos de uma dignidade que nos ultrapassa.

    Parabéns por esta aula que nos faz reflectir em tantas coisas que muitos ignoram e outros procuram esconder

    ResponderEliminar
  55. Bom dia querida, vc é uma delicinha de pessoa... Vim agradecer sua visitinha e deixar meu carinho em retorno ao seu... Vindo aqui dá vntade de ficar... Parabéns pelo seu belo "trabalho", bjsssss

    ResponderEliminar
  56. Chorar ou fazeres-nos chorar também é preciso minha amiga. Foi o que aconteceu a ler este texto.
    Desculpa visitar-te tão pouco, mas não me esqueço de ti.
    Um forte xi-coração.
    alice

    ResponderEliminar
  57. Muito lindas as suas histórias, muito bem redigidas e muito interessantes. Abraços

    ResponderEliminar
  58. Amiga Graça.Um conto de afectos e carinhoso que faz qualquer um pensar e reflectir na vida.São seres assim que nos mostra como a vida para uns é tão dura e os torna a cada dia melhor,adorei as palavras...mexem com nós.
    Beijinhos

    ResponderEliminar



  59. Después de un largo periodo de tiempo, tiempo que a veces no se comporta como nosotros quisiéramos y si como le preceden las situaciones…

    Regreso emocionada a recrearme por este vergel, donde las rosas acompañadas de las letras se mecen creciendo bajo la luz de tu sonrisa.

    Te dejo como bienvenida, un abrazo de golondrinas interpretando los trinos del cariño y la fantasía.


    Atte.
    María Del Carmen


    ResponderEliminar
  60. ·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿

    OLÁ MEU NOME É DIANA
    VIM CONHECER TEU BLOG!!!
    GOSTEI E ME TORNEI SEGUIDORA,
    POR FAVOR ME VISITE LÁ NO
    http://trabalhomissionariodiana.blogspot.com.br/
    SE GOSTAR SEGUE TAMBÉM!!!
    BEIJO NO CORAÇÃO!!! E EU VOLTO!!!!
    ·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿·´✿

    ResponderEliminar
  61. Gracias querida amiga,emocionada historia hacia la esperanza,un abrazo.J.R.

    ResponderEliminar
  62. Uma história triste, emocionante e bem contada como tu sabes.
    Beijo
    Teresa (Quelimane)

    ResponderEliminar
  63. Você tem o dom de transmitir sentimentos em palavras! Lindo! Beijos querida

    ResponderEliminar
  64. As suas narrativas sempre me tocam, conseguimos sentir o que nos conta...

    Boa semana querida amiga
    beijinho
    cvb

    ResponderEliminar
  65. Oi amada tem prêmio lá em casa que estou te oferecendo.
    Fique a vontade para trazer contigo ou não.
    Desejo uma linda tarde.
    Beijinhos de luz.
    Lua.
    http://luasnegra.blogspot.com.br/2012/10/presente-recebido-de-amigos.html#more

    ResponderEliminar
  66. Uma história muito bonita!
    Monhé

    ResponderEliminar


  67. Te dejo este manojo de letras en el umbral de la esperanza,
    para que te saluden con la voz del trovador
    acompañando los anhelos, que vuelan hacia las estrellas
    en busca de quimeras…

    ¡¡Un feliz fin de semana
    Alimentando satisfacciones!!

    Atte.
    María Del Carmen




    ResponderEliminar
  68. Como sempre uma bela história beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  69. Minha Querida Graça:
    Lindo e extraordinariamente emocionante! São os pequenos grandes gestos de seres superiores, porque dotados de um coração imenso, que, nesta vida, fazem toda a diferença.
    Um remate perfeito para uma história perfeita.
    Tenmho andado muito longe dos blogs por absoluta falta de tempo, mas, brevemente, colocarei um novo texto.
    Um abraço com as cores da tua Zambézia.

    ResponderEliminar
  70. Muito londo e comovente!
    Deus está presente nas pequenas coisas, nas pessoas simples...
    Um bom dia!

    ResponderEliminar
  71. Gosto imenso de castanhas, dá igual como sejam elaboradas, até cruas, assim, ao natural. Mas a preferencia está nas castanhas assadas, assim, como as do Pedro.
    Não é a primeira vez que me surpreendes com este tipo de relatos cheios de nostalgia, para mim, e de humanidade para TODOS. Que maravilha!
    Convém que comeces a pensar em que tudo isto passe ao papel, um livro que narre coisas assim, será um libro de êxito, ademais todos acabaremos ganhando, seria uma prenda à humanidade.
    O ano passado invadiu-me a saudade e escrevi assim...

    Chegou o Outono!
    O sol espreita retraído,
    cobrindo a cidade de ocres
    e sombras inclinadas.
    O ar vai-se pintando de fumo
    que a humidade deixa desenhar
    em boladas de mil formas;
    enquanto os braseiros
    vão aquecendo o corpo.
    Já se percebe o cheiro,
    que invade o Porto,
    a castanhas assadas…
    Stª Catarina, Boavista,
    Praça dos Leões,
    Ribeira ou Foz.
    É a magia do Outono
    que da infância guardo,
    no culto ao São Martinho,
    com vinho novo e alegria!

    Amiga...

    Fizeste que esse liquido
    que tantas vezes sabe a sal
    deslizasse dos meus olhos
    para acabar no canto da boa
    deixando-me perceber
    esse sabor incomparável
    a SAUDADE!!!

    Um grande abraço.querida amiga, musa dos meus dizeres

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A saudade levou-te a escrever um poema muito bonito...Ás vezes, sabe bem o sabor a sal...O livro, está quase pronto...falta ir para a editora e chama-se "Feitiços"!
      quando for o lançamento dir-te-ei!
      Um abraço com muito carinho.
      Graça

      Eliminar
  72. Olá minha querida amiga, hoje me bateu aquela nostalgia e te vim visitar espero que esteja bem.
    Nós por cá vão-nos empurrando para um buraco que não fizemos , mas enfim também como nunca tive nada nada, tenho agora para perder.
    Quando cá cheguei já cá estava tudo há minha espera na medida que ia crescendo, e quando for embora também nada posso levar.
    Só se por o meu computador para mandar uns emails aos amigos , beijinhos de luz e muita paz.

    ResponderEliminar
  73. Que maravilhoso conto, com sabor de infância e bondade...
    Abraços!
    Bíndi e Ghost

    ResponderEliminar
  74. Nossa, que história mais linda! Queria agradecer a sua participação no meu Blog e parabenizar-te pelo teu. Lindo e inteligente. bjs

    ResponderEliminar