segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Os Meus Poetas (VII) - José de Almeida



Os meus poetas, consagrados ou não, são aqueles que me dizem muito, que me dizem tudo!
Acolhi-os no meu coração. Alguns, que já editei aqui, foram companheiros de uma vida. Ombro a ombro passamos pela mesma estrada. Colhemos flores, ouvimos histórias, rimos e choramos juntos. Na troca sincera da amizade – porventura o bem maior dos homens – chegou-me às mãos o primeiro livro de poemas que o “Zé” publicou: “Palavras de Outono”.
Também nós no Outono da vida – o tempo fugiu apressado – encontramos, felizmente, momentos para nos darmos enternecidamente num gesto calmo e profundo de Amizade.
“Para a Maria da Graça, velha amiga e guardiã de preciosas memórias”… E o teu livro tornou-se ainda mais precioso, trouxe-me lembranças de um tempo cheio de claridades, onde os nossos passos se misturavam com gargalhadas felizes e o nosso grupo (do qual fazia parte a Maria João, hoje tua mulher) era um autêntico bando de rouxinóis poisados nas árvores da nossa cidade.
E por entre essas árvores ainda a arrebentar em seiva ardente, havia uma árvore antiga que se mantinha de pé no meio de todas estas, lembrando-me um santo homem que conheci do outro lado do tempo e que, deste lado do mundo, apesar de gasto pelo rolar dos anos, foi sempre meu Amigo. Já partiu. Mas foi sempre alguém que se manteve de pé para indicar caminhos nas encruzilhadas humanas e alguém que honrou a palavra Amizade.
O filho não podia ser menos que o Pai.
Não sei se António Osório que escreveu o prefácio deste teu livro, estaria de acordo com estas linhas escritas pelo e com o coração. Julgo que sim, e, “roubando-lhe” algumas palavras do teu retrato, feito pela sua pena com arte e engenho, completaria o meu:
“Assim, o lirismo de José de Almeida, um lirismo sem crispações nem rupturas, projecta-se em múltiplas direcções…” “As palavras de amor são as que engrandecem as emoções do poeta. E são elas que tornam este livro inesquecível para quem o leu”.


África

Vim ver-te.
E trazia em mim uma saudade imensa
E a memória do cheiro inesquecível.
Vim ver-te.
Com os olhos cheios de ânsias de infinito
E as mãos tremendo na sede de abraçar-te.
Recebeste-me,
Na calma parada dos teus dias sem tempo,
Igual a ti mesma, decadente e livre.
Ris-te das minhas pressas de deveres inexistentes,
do meu ar perdido de sonhos do passado.
Sinto dentro de mim paredes que não eram
E os meus horizontes tem hoje grades decoradas.
Mas sou eu, Mãe.
Já com o olhar de distância e longe das planícies,
Que não te pertenço mas acabo sempre por voltar.

José de Almeida, in “Palavras de Outono”

86 comentários:

  1. Olá Graça
    Escolhemos aqueles que nos falam ao coração. Belo poema e bela imagem.
    Beijos

    ResponderEliminar
  2. E por momentos são tb os "nossos" poetas, porque a Graça assim o permite:D Beijinhos!*

    ResponderEliminar
  3. Como já dizia o filme: "o lar é onde mora o coração."

    Lindo, lindo.
    Amigos assim são eternos.

    ResponderEliminar
  4. Este post é cativante. Foi um pouco como pegar indavertidamente num livro em forma epistolar e saborear-lhe o conteúdo.Chega a ser mais belo apesar do tamanho do que "As velas ardem até ao fim", uma história em livro que tem um belo conteúdo mas uma forma que fica aquém da ideia.

    Nao sei porquê lembrei-me do livro, talvez pela cumplicidade neste post onde expões sentimentos e pessoas, e pela forma categórica como falas da Amizade, o principal ingrediente em termos de flashback do livro que citei.

    Fiquei a pensar numa frase tua que subscrevo! Que a amizade é, porventura, o bem mais precioso dos homens. Na realidade, quem se julgar autosuficiente ou melhor do que os outros, é porque, como diria um filósofo da Antiga Grécia, é um deus ou uma besta, mas nunca um ser humano.

    beijinhos amigos

    ResponderEliminar
  5. Graça

    Adoro as tuas escolhas!

    Grande beijo
    Anne

    ResponderEliminar
  6. Bonito poema. A imagem motiva-me uma certa nostalgia...
    As palhotas, o capim e as queimadas, as picadas, os caminhos de pé posto, são uma constante no mato em África.
    Somos todos protagonistas da nossa existência e muitas vezes são os poetas anónimos que deixam as marcas mais duradouras.
    Bjis

    ResponderEliminar
  7. graça,

    Boas recordações,
    linda amizade e um belo poema.
    Há vivências que nunca se esquecem e por isso há amizades que nunca se perdem.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Gosto desta rubrica, para aumentar o meu conhecimento literário!!kiss

    ResponderEliminar
  9. Un gusto inmenso leerte querida amiga.. bello poema..

    Un abrazo
    Saludos fraternos..

    ResponderEliminar
  10. Graça;

    Todas as desculpas pela ausência, mas foi passageira e profissional.

    Quanto ao tema, é sempre dignificante divulgarmos os nossos escritores e poetas porque são eles que mantém viva uma literatura rica que orgulha uma língua que certamente será das mais belas e completas do Mundo.
    Poderá não ser uma língua musical mas é certamente das línguas literárias a que mais completa um poeta.

    Gostei imenso deste poema do José de Almeida.

    bjs, Graça.
    Osvaldo

    ResponderEliminar
  11. Bonito poema que retrata tão bem o sentimento de quem ama uma terra, mas ele já não é o mesmo.
    Não quero me alongar, o poema e seu texto são mais que suficientes.
    beijos

    ResponderEliminar
  12. Lindo poema.
    Quem esteve em África não esquece essa terra.
    Lindo.

    beijos
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  13. Passei para um beijo...



    PALAVRA


    O amor...
    Palavra pequena...
    Palavra simples...
    Mas palavra...

    ......

    Palavra...
    Que é...
    Forte...
    Palavra...
    Que é...
    Imprescindível...

    ......

    Que todos querem...
    Pois quem não sabe...
    ...Amar...
    Não sabe também...
    ...Viver!...

    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  14. Boa noite amiga.
    O bom filho sempre a casa retorna né amiga.
    beijos.

    ResponderEliminar
  15. "...Já com o olhar de distância e longe das planícies,
    Que não te pertenço mas acabo sempre por voltar."

    e assim se faz a vida...Encontros . Partidas e chegadas!

    belo poema,

    beijinhos

    Gisele

    ResponderEliminar
  16. ...lindo demais, como tudo que
    tem aqui nesta casa de sonhos
    sem fim...


    deixo beijinhos procê!

    ResponderEliminar
  17. Olá Graça
    Lindo poema e belíssima escolha. Como diz o poeta, "os nossos horizontes estão cheios de grades" e é bom alargá-los e dar-nos a conhecer estes teus amigos das mensagens. A sociedade está repletas de vistas curtas e somos prisioneiros da nossa parca existência. Cada vez pensamos menos e fazemos que não vemos, mesmo os amigos. Estamos sempre a "partir" para não termos de "chegar".
    Bjo e obrigado por mais uma bela escolha.
    Diogo

    ResponderEliminar
  18. Gostei da apresentação, mas sobretudo do poema.
    Partir voltando sempre ao berço da amizade que nos faz encontrar as mais belas e puras.

    ResponderEliminar
  19. Bom dia minha Amiga.

    Quanta coisa se aprende aqui, como é encantado teu espaço, prazeroso chegar e aqui ficar, tenho sorte pois achei Zambeziana, e aqui voltarei sempre que puder.

    Beijo

    Renata

    ResponderEliminar
  20. Gostei do poema. Nunca estive em África, o meu
    marido sim e fala-me do cheiro único...Para
    mim África tem muitas magias, gostaria de conhecer, não deve acontecer.Todavia no meu
    passado estive para casar com um africano e
    ir para África, depois não aconteceu.
    Beijos Graça./Irene

    ResponderEliminar
  21. Olá Graça,

    Como sempre os teus comentários, dão mais vida ao meu blog,as tuas palavras são afagos para mim.
    E vir aqui à palhota é vir aprender sempre mais qualquer coisa, sei hoje coisas de Moçambique que
    eu antes desconhecia. E também conhece pessoas na blogosferas, que eu pensava que já não exestissem na terra. Por isso vou continuando por
    aqui porque isto faz bem à minha saúde.

    um beijinho grande,
    José.

    ResponderEliminar
  22. AMIGA GRAÇA... TEM SELINHO "AMIGAS PODEROSAS" NO BLOG "NATUREZA QUEM AMA CUIDA"... QUANDO PUDER PASSA LÁ PEGAR.
    VOLTAREI PARA TE LER...
    PAZ E LUZ EM SEU CORAÇÃO.
    BJS
    GRAÇA

    ResponderEliminar
  23. Graça, querida!
    Realmente, há Poetas que "colam" no nosso coração. José de Almeida, pelo que bem colocaste aqui tem todos os requisitos para ser buscado e lembrado.
    A Mama África, continente tão massacrado, mas que não perde os seus contornos mágicos.
    "Vim ver-te"
    Começa tímido, o Poeta.
    "...não te pertenço, mas acabo sempre por voltar."
    Ao final, declara-se, não resiste.
    Eu também não resistiria...
    Obrigada por mais esse momento!!!Bjsss

    ResponderEliminar
  24. Palavras de Outono

    são as douradas palavras
    as que aquecem corações com frio

    por elas correram os rios da Primavera
    e os sóis escaldantes dos Verões

    caminham mansas para um Inverno falsamente gelado
    porque é aí que germina e toma forma
    a mínima gota de vida!

    Para o José de Almeida e
    para a Guardiã preciosa de preciosas memórias

    um beijo

    Manuela

    ResponderEliminar
  25. Esta sua paixao por Africa comove-me. Nao nos podemos esquecer do que vivemos, certo, amiga?

    Beijos

    ResponderEliminar
  26. Francisco
    E vivo! Mas África(Moçambique )está-me no sangue; nasci e vivi lá os melhores sonhos da minha vida...como esquecer a minha terra natal? Serias capaz de esquecer a tua Ria? Nunca! Dir-me-ás que é diferente e entendo o teu pensar e eu dir-te-ei que não e estaria aqui uma noite a explicar-te porquê...
    Beijocas
    Graça

    ResponderEliminar
  27. Amiga Graça,
    esta é sem dúvida uma bonita e sentida homenagem que aqui presta ao poeta José de Almeida.

    O poema é sem dúvida fantástico!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  28. Este poema falou-me ao coração! é bom recordar, e lindas vivências que tens amiga
    Um beijo

    ResponderEliminar
  29. Querida amiga Graça,

    O que me custa dizer-te isto, principalmente a ti, mas sei que entenderás.

    Peço desculpa se não te tenho visitado com a regularidade habitual.
    Estou muito ocupada de momento e não consigo esticar mais o meu tempo.

    Não li o teu post de hoje...mas deixo um beijinho e prometo voltar sempre que possível.
    Possivelmente já amanhã.

    ResponderEliminar
  30. Que linda carta! Que lindo poema de José de Almeida! Onde cantavam estes rouxinóis? Quem é o filho que prefacia? É de sua autoria a carta?

    Sentir é para todos, mas falar do que sente... Parabéns!

    Abraço: Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderEliminar
  31. África

    Vim ver-te.
    E trazia em mim uma saudade imensa
    E a memória do cheiro inesquecível.
    Vim ver-te.
    Com os olhos cheios de ânsias de infinito
    E as mãos tremendo na sede de abraçar-te.
    Recebeste-me.
    ------------------------------------------
    Como é lindo e belo ler coisas destas que fazem-me vir à memória tempos tão intensos de prazer e saudade passados nestes locais.

    A Poesia é maravilhosa assim como os bons Poetas que fazem crescer em nós um sentimento de orgulho naquilo que amamos.

    Maravilhoso post amiga que arrepiou todo o meu corpo ao lê-lo e senti-lo como se estivesse dentro dele.

    Parabéns te dou por ele que neste teu cantinho o faz cada vez mais rico e saudoso de longas datas.

    Bjos, felicidades e um novo dia resplandescente nasça em ti sempre com essa alma de grande mulher que nos encantas com teus posts.

    ResponderEliminar
  32. Olá Graça
    É como dizes, a minha filhota ainda hoje adora o palhacito. Para além das cores há ali muito de pai babado, né?
    Beijo grande e boa semana para ti.
    Diogo

    ResponderEliminar
  33. Bom dia minha querida.
    Vim te deixar um beijo.
    Fica com Deus.

    ResponderEliminar
  34. Graça...

    Quem passa por África jamais esquecerá o pulsar daquela terra vermelha, e do coração irmão daquela gente!
    Também estive em Moçambique, entre outros locais, também na Zambézia, donde recordo aquelas imensas plantações de chá e as noites passadas entoando canções debaixo de um embondeiro! Coisas que ficaram para sempre gravadas na memória e que nem sempre temos oportunidade de as partilhar!
    Estive alguns meses em Alto Molócué, e outras vilas circundantes, percorrendo milhares de Km de picada entre paisagens deslumbrantes!!!
    Este teu post... emocionou!

    Um abraço Graça!
    AL

    ResponderEliminar
  35. .

    . os nossos poetas, serão sempre aqueles que nos gritam em surdina as sílabas tantas do nosso silêncio .

    . um beijo Graça .

    .

    . paulo .

    .

    ResponderEliminar
  36. Por mais longe que se esteja, nossa pátria estará sempre em nosso coração...acredito muito nisso...e imagino que se vivesse fora do Brasil, mesmo com tantas queixas do meu país, sentiria falta dessas terras, dessas gentes...imagino o quanto de saudades deves ter de teu lugar.
    Lindo post e bela homenagem!
    Beijos.

    ResponderEliminar
  37. Boa tarde minha querida.
    Um beijo grande.

    ResponderEliminar
  38. Belissimo Graça e tão verdadeiro! Quem passou por África continua a sentir-lhe o cheiro e quer sempre voltar.
    Um beijinho,
    Maria Emília

    ResponderEliminar
  39. Obrigado pelo apoio e pelo carinho

    "Não existem lutas fáceis, todas elas nos cobram suor ou lágrimas. O que não podemos é parar no tempo lamentando derrotas ou nos glorificando com as vitórias, pois o grande vencedor da vida é aquele que continua lutando sempre".

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  40. Volto a repetir: a Graça é uma graça para nós.
    Poeta, livros, amigos que maravilha. Ficamos sempre com a essÊncia.Amei.
    Abraços criativos

    ResponderEliminar
  41. Um painel de poesia,campos de girassois como se fossem,não só post esse mas como teu oráculo todo,encantador!eMOCIONADO FIQUEI COM A POESIA EMANADA EM COMENTÁRIOS EM CAMPOS MEUS DE GIRASSOIS!

    BZU!
    tU ÉS POETA MATER E GUERREIRA MULHER,DAÍ TE AMAR E RESPEITAR ABISSALMENTE ,PESSOA AMIGAlinda!

    viva a vida!

    ResponderEliminar
  42. Olá Graça,
    Fiquei sem palavras ao ler este post e, o poema. Lindo, toca bem fundo na alma e, é de facto inesquecível ler este sentido que aqui é dito.
    Gostei muito. Obrigada por esta partilha. também eu gosto de partilhar os meus poetas, escritores, músicos, tudo aquilo que me tem acompanhado ao longo da vida e, continua a acompanhar e me diz tanto.

    Obrigada pela visita e, pelas palavras, sei que percebeu bem o que escrevi e, subscrevo também os eu sentir.

    Bjo de Luz

    ResponderEliminar
  43. Graça,
    Belo poema!
    a essência encontrada aqui,me fará voltar outras vzs.Obrigada,pelo carinho da visita.
    Boas energias
    Mari

    ResponderEliminar
  44. Graça, cheguei aqui por acaso e temos em comum o amor pela terra onde nascemos! Gostei muito, até um dia destes!

    ResponderEliminar
  45. Este é "O poeta"!

    Muito bom amizades que levamos por toda a vida!

    Um beijo!

    Sonia Regina.

    ResponderEliminar
  46. Graça, minha querida!
    não conhecia o poeta, mas amei a poesia!
    muito bem escolhida!
    caiu bem nesse momento de minha vida, em que vivo com pressa, cheia de deveres (talvez, até inexistentes). é, a MÂE do momento (em minha família) sou eu, mãezona, querendo abraçar tudo o que vem dos filhos, e é aí que estão os deveres, que aceitamos com carinho e, que um dia quem sabe, a calma volte para só abraçar.
    (Curry e Carril - minha amiga, realmente são a mesma coisa, é que sabes, aqui no Brasil, usa-se muito as palavras importadas - rsrs).
    fica com DEUS, obrigada pelo carinho.
    bjs no seu coração!

    ResponderEliminar
  47. Querida Graça,

    Aqui estou e fiquei fascinada com o texto e o poema que não conhecia.
    Lindo! Lindo mesmo!

    Beijinhos amiga.

    ResponderEliminar
  48. Olá minha querida.
    Cá estou a dar notícias.
    Sim estou melhor e espero que também já estejas a passar melhor.
    Parabéns ao José de Almeida.
    E a ti amiga, obrigada por partilhares essa bela imagem e esse doce poema.
    Jinhos e Bom Carnaval

    ResponderEliminar
  49. GRAÇA PEREIRA: o bom filho à casa torna... A "MÃE" África, mesmo velha e decadente, por vontade dos homens maus, não deixa que os seus filhos a esqueçam. Tenho-a no sangue e,se DEUS o permitir; hei-de voltar ao paraíso da minha meninice...
    BEIJOS DE LUSIBERO

    ResponderEliminar
  50. Bom dia, Graça.
    Obrigada por mais esse aprendizado.
    Os questionamentos não podem nunca sumir da nossa mente.
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja um bom carnaval.
    Beijo grande.
    Saudações Florestais !

    ResponderEliminar
  51. Bom Dia !!!!

    A Felicidade maior, está dentro de nós mesmos.

    O que satisfaz o nosso ego,
    que preenche este espaço chamado Felicidade,
    é saber que alguém é feliz só por saber que você existe
    e se faz presente em todos os momentos de nossa vida.

    Que seu dia seja repleto de conquistas e vitórias.

    beijooo.

    ResponderEliminar
  52. Lindíssimo como sempre :)))

    Obrigada pela simpatia :D:D

    Beijinhos grandeS*

    ResponderEliminar
  53. Grça gostei muito deste poema.....
    Muitos bjs bom dia dos namorados....
    Graça

    ResponderEliminar
  54. Oi Florzinha, como estas? saudades de vir aqui e ler os seus lindos e adoraveis contos... mais hoje resolvi fazer uma visitinha kk, e matar as saudades, e me deparo com este lindo poema.. nossa amei... esteja bem... bjs Mônica

    ResponderEliminar
  55. Mônica, minha querida
    Já tinha saudades tuas..Mas o que é que aconteceu? O teu tempo parou no Natal e por ali ficou...
    Muito trabalho ou resolveste ir de férias???
    Um beijo grande e um bom carnaval.
    Graça

    ResponderEliminar
  56. Graça:

    A paixão telúrica no máximo expoente!

    África é mesmo assim!

    ResponderEliminar
  57. Olá Graça,
    Belo poema!...África é para mim de um fascínio incalculável!... Todos os poetas menos conhecidos devem ser relembrados.
    Foi à Casa da Música ver o concerto sobre Fernando Pessoa? Eu estive lá e gostei bastante, música e palavras criaram realmente um grande desassossego!...
    Bjs,
    Manuela

    ResponderEliminar
  58. Manuela
    Também lá estive...será que nos vimos??? Fernando Pessoa é sempre Fernando Pessoa, a garantia das palavras.
    O desassossego...bem, esse de vez em quando fica connosco.
    Um beijo
    Graça

    ResponderEliminar
  59. Belo poema este, Graça! Assim devem ser todos os outros! Os nossos poetas não precisam ser conhecidos, famosos, best-selleres: precisam sim de serem Grandes...grandes amigos, grandes homens e o que escrevem precisa tocar o nosso coração. Entendo bem o poeta...de vez em quando também vou ver à minha 2ª pátria, matar saudades daquele cheiro, daquelas gentes, daquela cultura que me recebeu tão bem e que muito me enriqueceu. Estou a falar do meu querido Brasil onde vivi a época mais feliz da minha vida; fiz grandes amigos.... dois filhos que nunca me deixarão esquecer aquelas terras... parte de mim lá ficou também na memória daqueles com quem convivi. No próximo mês lá estarei;virei renovada, de certeza!A saudade, essa, vai e volta comigo, mas isso é bom!Um beijinho, amiga e um bom fim de semana
    Emília

    ResponderEliminar
  60. MUITO BONITO...APESAR DE NÃO CONHECER NEM O POEMA NEM O AUTOR.

    A AMIZADE É DOS MELHORES SENTIMENTOS QUE HÁ...

    OBRIGADA E BOM FIM DE SEMANA

    ResponderEliminar
  61. Boa noite.
    Não sei o que está acontecendo com o meu blog. Ele excluiu as pessoas e não estou conseguindo incluir, está dizendo que você bloqueou a minha entrada. Pela manhã quando eu fui postar, entrou uma mensagem dizendo que o meu blog havia sido excluído. Só quase na hora do almoço ele voltou ao normal. Pensei que fosse algum tipo de manutenção, mas agora uma amiga blogueira me mandou uma mensagem se dizendo aborrecida poir tê-la excluída e eu nem sei como fazer isso. O pior é que aqui está acontecendo a mesma coisa, não consigo adicionar você. Se souber como resolver isso, por favor me avise. Pois não tenho idéia do que pode estar acontecendo e nem onde me reportar para tentar solucionar.
    http://www.silnunesprof.blogspot.com
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER...
    Quando eu tento adicionar você, diz a mensagem que o proprietário bloqueou o meu login. Não entendi nada. Será que fiz alguma coisa que aborreceu? Se fiz, por favor me desculpe.
    E eu que sou meio atolada para lidar com certas coisas, nem sei o que fazer para resolver isso. Tive de entrar com outra identidade de e-mail. O que será que está acontecendo ?
    Silvana Nunes

    ResponderEliminar
  62. Pelo jeito não é só o amor pelo country que compartilhamos... Amei e fiquei... bjsssss

    ResponderEliminar
  63. Silvana,
    se aconteceu alguma coisa garanto-te que não foi por minha acção. Aliás nem saberia como bloquear alguém, nem sabia que era possível... Deve ser alguma problema do sistema... És sempre muito bem vinda ao meu blog e eu gosto muito de visitar o teu.
    Beijos
    Graça

    ResponderEliminar
  64. GRAÇA

    O meu livro começa assim,,,




    POESIA


    Poesia...
    Verde...
    Branca...
    Ou...
    Branca...
    Verde...

    Mas...
    Poesia...
    Simples...
    E colorida...

    E nestes poemas...
    De cor...
    E alegria...

    Sinto...
    Que a bola...
    Acabou de chegar...

    E o primeiro...
    Pontapé...
    É mesmo meu!...

    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  65. Olá amiga, embora eu não conheça esse poeta fiquei a gostar. O poema é lindo. Graça as nossas raízes serão sempre isso mesmo , mesmo a quilómetros de distancia. Nunca se esquece. Obrigada pela visita. Beijos

    ResponderEliminar
  66. Graça
    Poemas são pérolas de expressão ou seriam expressões em pérolas?
    O que sei é que sempre encontramos aqui, contigo, palavras que nos tocam o coração.
    E agora estou rindo porque olhei para a minha esquerda do monitor e vejo um selinho escrito Amigos Pérolas.
    Essa é você. Assim é teu blog.
    E nós somos os presenteados com essas jóias.
    Gratidão

    ResponderEliminar
  67. Como sempre dá gosto vir aqui....
    Um beijo
    Ligia

    ResponderEliminar
  68. Lindíssimo, Graça.
    Bela escolha! Parabéns!!

    Um beijo

    ResponderEliminar
  69. Graça, vc fala da África com tanto amor que me emociona.Quero tb receber um livro seu, com todos os textos aqui postados.Quem sabe, se for convidada, irei ao lançamento.(risos).
    Ontem, estive pensando muito em nosso amigo e gostaria de saber se vc tem notícias dele.Está bem?
    Como vai filhote?
    Beijos e apareça mais..suas palavrinhas me enchem de alegria.
    Emília

    ResponderEliminar
  70. Estou impressionada com a beleza e sensibilidade do teu espaço, sendo assim não resisti e tornei-me uma das aprecidadoras.
    Lindo o texto que fizeste aos teus amigos poetas, e o poema de José de Almeida dispensa comentários. Ainda que nunca tenha pisado aquele solo, não é menor minha emoção ao lê-lo.Um misto de nostagia, lágrimas, amor e alegria ao ver de perto a terra que escolhemos como lar.
    Obrigada por tua visista. Será uma honra tê-la em minha lista de amigos virtuais.
    bjokas

    ResponderEliminar
  71. Bonito poema de um grande poeta!
    África tem o condão de nos atrair e quem passa nem que seja por poucos dias fica totalmente apaixonado!
    Um óptimo fim de semana e beijos de
    Zé Al

    ResponderEliminar
  72. Oi querida Graça,como é gostoso
    vir aqui e ler seus textos,com
    certeza todos aprovam e ficam fascinados ao lê-los,tamanha leveza emoção e carinho que você coloca em suas escritas.Tbém gostaria muito de ler este livro,“Palavras de Outono”.
    Bem,como sabes estou na correria mas sempre que der passarei aqui neste cantinho tão gostoso.
    Amiga,adorei a idéia q vc deu para eu acrescentar em meu curriculo,ri muito...ainda bem que me restou o humor hehe ...
    Beijos grande

    ResponderEliminar
  73. Graça. Poesia soberba a terra quente de África,ela é um pouco de outono em cada pedaço escrito,e não se esqueçe amizade.
    Beijinho e tudo de bom bfs Lisa

    ResponderEliminar
  74. GRAÇA, obrigada pela sua visita e comentário. Vim aqui matar saudades, do nosso mundo africano e deparo com esta bela poesia que tanto me diz..... ao ouvido e toca o coração.....
    beijinho, HELENA

    ResponderEliminar
  75. Agradeço o seu carinho em me visitar..
    Aproveito para convidar e ver o carnaval na interação de amigos.
    Apreveite e traga o seu selinho.
    Ola!
    Também estou participando da Coletiva.
    Por isso vim convidar para brincarmos o carnaval..Passe lá.
    Estou na Coletiva da Minha aldeia, com o blog http://sandrarandrade7.blogspot.com.
    Te espero no blog para conferir e brincar este carnaval.
    Vou te espear por lá.
    Com muito carinho
    Sandra

    ResponderEliminar
  76. O selo dos 300 também é seu..É só trazer.Você tmbém faz parte dela.
    Um abraço.
    Sandra

    ResponderEliminar
  77. Querida amiga, desculpe a ausência, meu esposo está com sério problema
    de saúde, e por isso estou sem tempo. Adoro sua visita e seu comentário sempre
    tão gentil e carinhoso. Que Deus te abençoe!!!!Bom carnaval...beijos

    ResponderEliminar
  78. Poxa, não conhecia esse poeta José de Almeida, foi um prazer. Sua escolha foi muito feliz.
    Beijos
    Fabrício

    ResponderEliminar
  79. Graça obrigada por trazer os nossos poetas e partilhá-los com conosco. Que sonoridade de palavras.

    Adorei

    Beijinhos e bom fim de semana

    Carmo

    ResponderEliminar
  80. Olá Graça estive aqui um pouco consigo,
    enquanto o Corso Carnavalesco passa na rua,
    apesar do muito frio. Beijinho/Irene

    ResponderEliminar
  81. Boa tarde, amiga.
    Como foi de carnaval? Passeou ou pulou ?
    Como se não bastasse estar bloqueada para adicionar vocês de volta, agora sumiu aquele link onde as pessoas pegavam para colocar na página. Se você a vir por estes blogs, me avisa para que possa recuperar.
    beijo

    ResponderEliminar