sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Outono




Outono vem em vulvas claridades...
Vamos os dois esp'rá-lo de mãos dadas:
Tu, desfolhando as rosas das estradas,
E eu, escutando o choro das saudades...

Outono, vem em doces suavidades...
E a acender fogueiras apagadas
Andam almas no céu, ajoelhadas...
E a terrra rez a prece das Trindades.




Choram no bosque os musgos e os fetos.
Vogam nos lagos pálidos e quietos,
Como gôndolas doiro, as borboletas

Meu amor! Meu amor! Outono vem...
Beija os meus olhos roxos, beija-os bem!
Desfolha essas primeiras violetas.



- Florbela Espanca in Poesia: 1818-1930


87 comentários:

  1. Que lindo Graça!
    Gosto muito do outono tb e da Florbela nem se fala!
    bjs.

    ResponderEliminar
  2. Querida Graça
    Agora a graça é maior com tua foto atual.
    Lindo poema, lindo fundo que nos remete ao Outono.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Vou confessar uma coisa:já estava farto de verão,é que uma pessoa(com calor) abre a janela,vêm mosquito,adormece no sofá, leva mordidela de mosquito...irra que já estava pela ponta dos cabelos?!!!
    Venha então esse lindo(?)Outono.

    ResponderEliminar
  4. Olá Graça! Foste muito feliz quando na escolha. Um belo soneto da Florbela, com ênfase para o quarteto abaixo:

    Outono, vem em doces suavidades...
    E a acender fogueiras apagadas
    Andam almas no céu, ajoelhadas...
    E a terra reza a prece das Trindades.

    Aqui estamos na primavera, mas as fogueiras já estão acesas.

    Beijos e que fiques com DEUS.

    Furtado.

    ResponderEliminar
  5. Boa noite Graça,
    lindo este soneto ao Outono, também gosto de ler Florbela Espanca.

    Beijinhos,
    Ana Martins
    Ave Sem Asas

    ResponderEliminar
  6. Minha querida Graça
    Um belo soneto de Florbela que eu adoro.
    Obrigada pelas palavras carinhosas que deixas sempre.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  7. As estações mudam para nós mudarmos junto, beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  8. Querida amiga, aqui estamos na Primavera, mas a estação mais linda do ano é o Outono...as folhas
    com tons de marrom, despindo as árvores. Lindo poema. Beijocas

    ResponderEliminar
  9. Lindo poema Graça!
    Eu Amo o Outono!
    Beijossss

    ResponderEliminar
  10. Belíssimo poema da Florbela a desvirginar o outono tão bem.
    Lindo....

    Noite de Paz pra ti

    Bjs

    Livinha

    ResponderEliminar
  11. Oi Graça,
    Que belo poema escolheste para anunciar o outono.
    Eu gosto muito da primavera, pela flores, pelos pássaros, pela claridade... Mas o outono também me encanta muito, pelas suaves brisas e claridades mais amenas, pelos frutos mais doces...
    Por mim só existiria Outono e Primavera.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  12. Sua alma poética se mesclou à minha...
    transborda o teu excesso
    e joga pelas pupilas o teu contentamento!
    Meu olhar beira as estrelas
    quando te vê chegar...

    Denise Flor

    Bom dia com amor e poesia!!M@ria

    ResponderEliminar
  13. Outono cantado pela poetisa Florbela Espanca
    Lembra as fogueiras e as reuniões até tarde com toda a família.
    Gosto das cores do Outono, mas o frio começa a doer.

    ResponderEliminar
  14. Olá Graça

    Entrei e senti o cheirinho a Outonno...

    Obrigada por partilhares tão doce e belo poema!

    Outono uma estação melancólica, romântica de uma beleza ímpar.

    Bjs.

    ResponderEliminar
  15. Sempre a inconfundível Florbela com toda a sua sensibilidade.

    Beijo

    ResponderEliminar
  16. Tudo muito lindo, Graça... o novo lauout do blog, a lembrança do outono, o poema de Florbela... Lindo.
    Beijos e um bom dia para você.

    ResponderEliminar
  17. Graça querida,novos ares por aqui e como diz o Vinicius"que seja eterno enquanto dure".
    Linda postagem, e eu,particularmente adoro os tons do outono.
    Por aqui,a primavera colore tudo..."Outono é outra primavera,cada folha uma flor."
    Recebeu as receitas?Adorei a foto atual,viu?
    Um ótimo fim de semana para vc e o Nuno...Aqui, teremos as eleições...
    Um abraço amiga..Emilinha

    ResponderEliminar
  18. Se eu fosse a senhora do tempo, perderia a razão para escrever como Florbela, com palavras, desfaz a noção temporal e eterniza emoções, sensações, desejos, além de estações.

    BeijooO*

    ResponderEliminar
  19. Querida Graça, quando comecei a ler este soneto lindo, 'Outono', pensei que finalmente te tinhas aventurado pelo caminho da poesia, que eu sei, com o teu dom e sensibilidade, sairiam palavras muito iguais a estas da Florbela. Para quando um soneto teu?
    Como sabes não gosto do Outono, é a estação em que vejo o meu crepúsculo... não gosto! Gosto da poesia da Florbela, gosto de ti...
    Beijo de muito carinho, querida Graça.
    Carlos

    ResponderEliminar
  20. Olá Graça
    Outono, acho uma estação triste, com as árvores de desnudando, parece que o coração vai ficando apertado.
    Beijos

    ResponderEliminar
  21. Olá cunhadita!
    Pois continua com o seu habitual bom gosto na es- colha de poesia, nada que eu não saiba já.
    Mas aproveito para lhe dizer que gostei de ver a foto que colocou e em que aparece a olhar para uma das suas paixões...as flores, pois claro!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  22. Bom dia aqui ainda é manhã de primavera, abafado, o que me dá uma preguiça, teu outono é poético, aqui no Brasil ou melhor no nordeste dizemos ter duas estações verão e inverno, as flores para serem cultivadas precisam de água, e eu as tenho pois meus recursos são água encanada e um poço artesiano, realidade de poucos. Infelizmente o nordeste do Brasil é seco e o governo federal parace gostar da industria da seca, nem preciso dizer o por quê, bem chega de observações e vamos ao que interessa o que será hoje?
    Sumo?
    Chá?
    Refrigerante hiper gelado rsrsrsrsrs?
    Café?
    Tenha um ótimo fim de semana Graça que faz jus ao nome que tem...

    Renata

    ResponderEliminar
  23. Um poema lindo da Florbela e muito bem escolhido,no outono encontro o céu mais lindo de todas as estações. O velho dá espaço ao novo e se renova. Amo o outono! Montão de bjs e abraços minhA AMIGA,DESCULPE-ME PELA AUSÊNCIA.CREIO QUE ESTA FASE LOGO PASSARÁ,AFINAL aqui já é primavera e preciso florecer!

    ResponderEliminar
  24. Olá cara amiga!!! Mas que lindo poema, uau! Florbela é uma das minhas preferidas, pois além de versar sobre o amor como ninguém, a intensidade, simultânea à suavidade dos seus poemas é uma delicia!!! E parabéns pelo excelente cenário de Outono no fundo do teu Blogue, simplesmente deslumbrante! Parece um bosque francês,,,, será???
    Agradeço ainda as tuas palavras de incentivo no meu Blogue cara amiga, muito obrigado!!!
    No que respeita à minha paixão por azulejos, talvez seja a minha costela Lusitana sim, aliás, eu só tenho costelas lusitanas mesmo, pois no Brasil apenas vivo há cerca de dois anos, e na minha idade já não se perdem as “costelas” originais, não achas????
    Beijocas Luso-brasileiras, Zé Maria

    ResponderEliminar
  25. Graça a minha gata está a fazer uma campanha
    precisa da tua ajuda :Para divulgar a "ACONCHEGO"
    vem ai o Inverno e os nossos amiguinhos de 4 papas presisam da nossa ajuda!!
    Ronronzinhos da Kika e bjs da tua amiga
    Graça

    ResponderEliminar
  26. Cada estação com a sua beleza...a Primaver com as suas flores, o Verão com o seu calor, com o sol sempre mais companheiro. O Outono nos anuncia que o Inverno está à porta; o Sol já começa a fazer-nos menos companhia, as noites já nos convidam a um recolher menos tardio. A estação de que menos gosto é do Inverno, embora tenha que lhe reconhecer também as suas belezas; não gosto de frio e fa-me muita falta o sol; adoro sol. Beijinhos, amiga e parabéns pela escolha do poema. Bom fim de semana!
    Emília

    ResponderEliminar
  27. Olá querida Graça!

    Respondendo ao poema lá no meu canto, ao qual faltam-me as palavras para agradecer.

    Já perdi o meu cantar
    não dou o passo acertado
    sem dinheiro para gastar
    e não sei cantar o fado
    "Tudo isto ixiste, tudo isto
    é triste, tudo isto é fado"
    ---------------------------

    Outono da minha vida
    estás tão perto de mim
    o Inverno vem em seguida
    e o verão chegou ao fim

    Mas é para a Primavera
    que vão os meus louvores
    ela derrama sobre a terra
    as mais lindas flores

    Outono chega mansinho
    E muito sorrateiramente
    deixa folhas no caminho
    Diluídas com o tempo

    Renova cada estação
    no passar de cada ano
    quando termina o Verão
    a seguir vem o Outono

    As árvores ficam despidas
    Só de velas dá-me tristeza
    e as suas folhas caídas
    são lágrimas da natureza

    Um beijinho Grande,
    José.

    ResponderEliminar
  28. Amiga Graça. Envolta neste Outono de palavras de Florbela Espanca,a estação que entramos me deixa mais nostálgica nas cores e sentidos de Outono.Beijinho bfs

    ResponderEliminar
  29. Amiogo José
    A tua veia de poeta traz-me sempre a sua resposta, bem rimada e sincopada, a condizer com o meu post!
    Ah poeta da vida...que entrelaças palavras numa doce harmonia...
    Beijos amigos
    Graça

    ResponderEliminar
  30. O Outono visto, sentido e dito por uma poetisa que muito admiro.

    Beijos de saudades cara Graça

    ResponderEliminar
  31. Boa tarde!

    Gostei do poema da Florbela, gostei da pintura nova da Palhota e gostei de ver a sua foto actualizada.

    Juro que se a encontrasse na rua nao a reconheceria, por ter a ideia da foto inicial. Parabens por ser assim, Graca. Nao mude nunca...

    Uma beijoca e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  32. Tu já tinhas um nome, e eu não sei
    se eras fonte ou brisa ou mar ou flor.
    Nos meus versos chamar-te-ei Amor.

    Eugénio de Andrade


    BOM FDS.......BEIJOS!! M@ria

    ResponderEliminar
  33. Sei sempre como voltar aqui
    as cores do teu Outono
    desenham caminhos.

    Beijinhos meus e bom fds

    ResponderEliminar
  34. Querida Graça
    Boa noite. Venho aqui de fugida só para te dizer que o comentário que colocaste no meu blog "HISTÓRIAS" era, com certeza, destinado à "CASA" :))))))
    Desculpa, mas mudei-o para lá. Só é pena que assim fica sem a tua foto :(((
    Estou a organizar-me para agradecer a toda a gente, o que não é muito fácil dado, de momento, eu dispôr de pouquíssimo tempo.
    Hei-de arranjar uma solução...

    Sou fã de Florbela... logo, adorei o poema. Perfeitamente de acordo com a época.

    Beijinhos e noite feliz.

    ResponderEliminar
  35. Lindo conjunto! Um soneto soberbo num fundo precioso.

    Deixo um beijo

    ResponderEliminar
  36. Minha querida,

    estamos aqui em plena primavera,tudo florindo e uma chuvinha a tanto esperada,uma delícia.

    Sua escolha foi perfeita,Florbela combina o outono,lindo, porém melancólico.

    Beijinho no coração.

    ResponderEliminar
  37. Florbela, sempre a movimentar-nos os sentidos com sua inigualável sensibilidade...

    Bela escolha, amiga! Bjs, Graça. E inté!

    ResponderEliminar
  38. Graça.

    Estou louca para ver as fotos, deve ter ficado lindo, o sumo estava ótimo e me passa a receita do bolo de maçã, hummmmm muito bom!

    Beijo e que Nossa Senhora abençoe os noivos e a ti.

    Renata

    ResponderEliminar
  39. Graça,
    Voltei pra dizer que adorei a nova foto.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  40. Florbela me tira o ar. Fico paralisado depois de ler um texto seu. Muito bom ter alguém como você publicando textos maravilhosos. Um grande obrigado por visitar o cores e nomes. Um imenso abraço.

    ResponderEliminar
  41. Poema lindíssimo para celebrar o Outono!
    Obrigada, amiga, pela partilha;o)

    ***
    Beijinhos
    e um excelente fim de semana*******

    ResponderEliminar
  42. Em ambos os hemisférios a mudança da estação é anunciada com uma introdução. Em tua terra o frio é antecedido pelo outono, a estação das cores vermelhas e do despencar. Por aqui é a primavera, a estação das cores e das chuvas, anunciado o verão. Em ambas a temperatura é amena, própria ao amor e ao enlevo. Sigamos pois, Florbela e Graça. Obrigado pela partilha. Haja bem. Beijos.

    ResponderEliminar
  43. Olá Graça,

    excelente poesia escolheste para nos pintar o Outono.

    Um beijo e que tenhas um excelente fim de semana.

    ResponderEliminar
  44. Querida amiga, lindo poema do Outono da Florbela.
    Adorei a sua fotografia actual e o cheirinho do outono aqui no seu magnifico cantinho.
    Que Deus ilumine hoje e sempre o seu caminho.
    Tenha um bom fim-de-semana
    Bjs do tamanho do infinito
    Maria

    ResponderEliminar
  45. Olá Graça bom dia:

    Bela escolha deste poema.

    Florbela e a sua grande obra deixada a todos nós que será para sempre um marco na história da poesia de todos nós.

    Outono que nos beijas
    Nos vigias e nos olhas
    Das árvores tu fazes cair
    As suas tão lindas folhas.

    Uma folha eu vou guardar
    Na palma de minha mão
    Caída daquela árvore
    Apanhada deste chão.

    Chão que dá as sementeiras
    Em sua bela essência
    Elas são em grande parte
    Fruto da nossa vivência.

    Bjos, bom Domingo de Outono.

    ResponderEliminar
  46. Minha querida Graça!

    Não podias ter escolhido, nem melhor poema nem autora, para descrever os sentimentos do Outono!

    Adoro Florbela Espanca.
    Hoje, consegui ver muitos traços comuns entre ambas.

    Beijinhos



    PS. Viste já o meu novo template? Fui eu que o fiz. As fotos são do meu José e o background é mesmo parte do meu jardim.
    Esta tua lindíssima imagem de fundo precisa de um toque.
    Diz-me se precisas de mim.

    Mais beijinhos

    ResponderEliminar
  47. Graça, amiga !

    Espero que batas mesmo... aliás ...que toques o sino :)
    Aqui não há campainhas!

    Beijo

    ResponderEliminar
  48. Entregando a sabedoria das palavras
    Em uma concha
    Que derrama estrelas
    E orvalhos ao sol amanhecidos.
    Te desejo um Feliz Domingo!! M@ria

    ResponderEliminar
  49. Linda imagem de Outono...

    ...soneto carregado de melancolia

    ... a condizer com o tempo lá fora!

    Beijo,
    António

    ResponderEliminar
  50. Graça

    Florbella Espanca, eu adoro! E o outono tbm. :-)

    Beijão
    Anne

    ResponderEliminar
  51. Oi Graça...

    Florbela realmente tinha um jeito esepcial de falar sobre todas as coisas!
    Feliz domingo minha amiga!
    Beijos

    ResponderEliminar
  52. Graça

    é de arrasar! este soneto de Florbela Espanca

    dorido
    romântico
    belo como um dia de Outono!

    ...hoje com água a mais...

    um beijo

    manuela

    ResponderEliminar
  53. Olá Graça.
    Bonito o poema que publicaste da Florbela,mas como são também tão bonitos os teus.
    Beijo do tamanho da minha Angola,e continua sempre Graça.
    Angelino

    ResponderEliminar
  54. GRACINHA: ADOREI, minha Querida!RECONHECI FLORBELA,

    CUJO ESTILO INCONFUNDÍVEL, a
    PARABÉNS!
    BEIJOS DE
    Mª ELISA diferencia de todos os outros...

    ResponderEliminar
  55. Olá querida Graça!

    Eu que gosto muito do Outono, não faz muito frio, nem muito calor, e espanta os mosquitos.
    Lindo o poema de Florbela Espanca.

    Gosto muito da tua foto actual.

    Um grande be:)o,
    Lumena

    ResponderEliminar
  56. Apenas por absoluta falta de tempo não me é possível dirigir um agradecimento individualizado a cada uma das pessoas que tiveram a gentileza de me felicitar pelo meu aniversário.
    Faço-o, por isso, numa forma “generalizada”, mas acompanhada do carinho particular para cada um de vós, neste caso para ti, querida Graça.

    PS – Aproveito a oportunidade para agradecer, também, a visita e comentário ao meu post anterior “Acontecimento Inesperado”.

    Beijinhos

    PS - Espero que não tenhas ficado aborrecida por ter mudado o teu comentário dum blog para outro... + 1 beijinho

    ResponderEliminar
  57. Querida Graca, lindas comoventes palavras, sim como me sinto como Outono, ja descrito em nosso blog, li com muito carinho as doces palavras!
    Aqui sempre e um presente, espero vê-la em breve nos Mimos,
    com carinho Lulu & Sol

    ResponderEliminar
  58. Muito belo e expressivo soneto! Parabéns! Abraços!

    ResponderEliminar
  59. Bela escolha para começar oOutono, a minha estação preferida. Florbela é sempre um deslumbramento!
    Beijo
    Ligia

    ResponderEliminar
  60. Oi Graça, estou aqui um pouco atrasada, mas vim.
    E que bom, pois o poema escrito, transborda perfume de outono,a floresta da foto me faz respirar, e imagina o quanto de poesia caberia, num lugar mágico como este. Que lindo.
    Aqui é primavera, época em que a natureza transborda em cores e perfumes, e alma fica leve para se amar.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  61. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  62. Não conhecia este soneto de Florbela que, torna o Outono ainda mais bonito. O fundo,é mágico, com estas cores douradas da época e aquela folha solta...lembra poesia,aqui, com excelência.
    Beijo
    Teresa(Quelimane)

    ResponderEliminar
  63. Fico sempre agradavelmente surpreendido quando visito este teu maravilhoso blog!
    Parabéns, Graça.
    Branquinho (Zinhopemba)

    ResponderEliminar
  64. Graça,obrigada pelo comentário lindo que deixou em meu blog.Francisco de Assis é um dos meus santos preferidos,justamente pela a sua história de vida.
    Uma semana de paz,alegria e um outono lindo, pois vc merece tudo de melhor.Beijos no Nuno.
    Sempre..Emilinha

    ResponderEliminar
  65. Graça, adorei o seu blog. Lindos textos de sua autoria, linda poesia de Florbela. Verdadeiro presente para os seus leitores.
    bj grande

    ResponderEliminar
  66. GRaça

    Da mesma forma que acredito que poucos escrevem sobre a mulher como Vinicius, vejo os poemas de Florbela (lindos sempre) como uma poesia eminentemente para o publico feminino. Mas, isso nunca me impediu de lê-la com avidez e prazer inegaveis, ela está entre os meus preferidos. Seus sonetos são incomparáveis, unicos e os finais sempre são uma apoteose.

    Acredite, estive disperso no mundo virtual por um tempo, mas estou de volta para tudo o que é bom!

    Bom demais voltar aqui!

    Fiques bem nesta noite e em todas as demais!

    ResponderEliminar
  67. Graça, minha querida!
    Estamos aqui, nesse doce outono teu e de Florbela. Nome mais que apropriado para uma mulher tão especial.
    O nosso outono é curtinho, mas as folhinhas a cair são um encanto à parte.
    Beijos e um beleza de semana!!!

    ResponderEliminar
  68. Graça

    Este outono da Florbela e a primavera de tuas palavras, de tua atenção, de teu carinho, formam a temperatura ideal para meu conforto. Bom te ler. Ótimo te receber. Maravilhoso te falar.

    ResponderEliminar
  69. Lindo Outono de Florbela.

    Seu blog está muito bonito amiga.

    beijooo.

    ResponderEliminar
  70. O Outono bem ao jeito de Florbela Espanca. Obrigada por traze-la aqui, Graça.
    Beijo e boa semana.

    ResponderEliminar
  71. ah, não me canso de dizer como gosto de florbela espanca :))

    que seja um Outono inspirador, este :))

    um beijo, graça *

    ResponderEliminar
  72. Mais uma estação está aí, mais um Outono na nossa vida para aprendermos a renovação da vida
    beijinhos

    ResponderEliminar
  73. Uma Florbela ainda pouco fatalista.
    Abraço do Zé

    ResponderEliminar
  74. MARAVILHOSO...tudo!
    Monhé

    ResponderEliminar
  75. Querida e estimada Graça, mais um lindo poema da Florbela Espanca, já conhecia´, mas é sempre bom reler e sobretudo relembrar tão linda poesia.

    Tem uma bela e linda noite.

    Bjs

    Sãozita

    ResponderEliminar
  76. Parece que estamos no Inverno, em vez do Outono mas, acredito que os dias dourados, como esta bela paisagem, ainda virão pois só temos quinze dias da nova estação e, entretanto, aquece-nos este belissimo soneto de Florbela Espanca!
    Há muito que não passava por aqui. O Verão, leva-nos sempre para outros lados...Mas,este blog não caíu no esquecimento por ser o mais excelente que, de vez em quando visito. Parabens pela qualidade dos seus textos e não só. Continue assim.
    Anónima de Lisboa.

    ResponderEliminar
  77. Olá querida Graça, lindo soneto de Florbela Espanca e que adoro. Obrigada pelas tuas visitas sempre tão carinhosas. Beijos com muito carinho

    ResponderEliminar
  78. Graça!

    Quando comecei a ler esta beleza pensei:-Parece poema da Florbela Espanca...e acertei em cheio!

    Ela é maravilhosa e sua escolha foi perfeita,tem bom gosto!!
    Um beijo carinhoso!

    Sonia Regina

    ResponderEliminar
  79. Aqui éprimavera mas acho sersempre outono, nenhuma folha em minha arvore me sustenta, nada em mim permanece imutável por muito tempo.

    A Florbela nesse está tão doce....adorei,não conhecia.

    Um beijo a ti Graça

    Erikah

    ResponderEliminar
  80. Oi Graça, como vais? Espero que tudo bem! Gostei muito do seu poema de Outono! Beijo.

    ResponderEliminar
  81. Em Florbela o que mais a preocupa é o amor, solidão, tristeza, saudade, sedução, desejo e morte.

    Admitem que foi "uma das mais notáveis personalidades líricas isoladas, pela intensidade de um emotivo erotismo feminino sem
    precedentes entre nós (portugueses) com tonalidades ora egoístas, ora de uma sublimada
    abnegação que ainda lembra Sóror Mariana,ora de
    uma expressão de amor intenso e instável."

    Beijos,

    Mª. Luísa

    Não se coloca como observadora distante, ela está dentro do poema, sempre.

    ResponderEliminar
  82. ¡Amiga GRAÇA! Hay personas que gritan,mudas, ¡ascoltami! ¡escúchame! y no encuentran eco. A veces, como los psiquiatras, el escritor "é um fingidor"...Beijos.

    ResponderEliminar