segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Uma Chávena de Café


Quando te entreguei a chávena de café… que haveria no meu gesto? Que diria o meu olhar?
Alguém que chegara de longe para negociações turísticas, correra todas as praias, experimentara todos os hotéis, provara todos os restaurantes, queria conhecer o interior de uma casa portuguesa. Alguém que eu receberia como amigo do Guilherme. Guilherme, meu noivo.
Noivo? Que ironia! No meu dedo, um anel de noivado, por sinal bonito e antigo, jóia de família. No meu coração, incerteza, ou já a certeza de que a vida nos separava a passos gigantescos e que, só por respeito humano ou hábito social, mantínhamos relações que se modificavam em tortura.
Vê como são enganadoras as aparências; tu, que julgavas vir acompanhado pelo meu noivo, eras afinal quem mo trazia depois de muitas semanas de ausência. Quando entraram eu acabara precisamente de perguntar a mim própria se algum milagre faria renascer esse amor duradoiro que nos unira, já nem sabia em que tempo. Preparada, por conceitos burgueses, para o casamento como fim único da mulher, balançava-me entre o comodismo da aceitação, que todos classificavam de crise passageira, e uma decisão que me amarraria ao estado de solteira. Depois das ausências Guilherme voltava contrito. Protestos de amor: “se não fosses tu, perdia-me…”. Seguiam-se os projectos de trabalho sério, emprego e uma necessidade urgente de estar comigo. - “Vamos marcar a data do casamento!” - dizia. Nessas alturas, sem o compreender, estava a perdoar-lhe por inércia, a que se ligava, porém, um ténue fio de esperança.
Mas o que haveria no meu gesto ou te diria o meu olhar, ao entregar-te a chávena de café?
Solidão, abandono. Foram corteses as minhas palavras? Imperativo de educação, atitude diplomática, hospitalidade, como queiras... Nesse instante, descobriste que me amarias. Estranhas condições, as do amor!
Pouco tempo depois Guilherme resolvia esclarecer definitivamente a nossa situação. Ainda por influência tua? Ah, não o sabia! Retiro do dedo o anel de noivado, como uma libertação. Revi o meu passado e o meu presente, planeei um futuro em que, confesso te não incluía.
Aliás tendo já ultrapassado a idade dita romântica, não veria em cada homem um possível marido. E a tua imagem diluía-se entre as confusas narrativas dum país sul-americano interessado em turismo, o que nada me importava a mim. Queria trabalhar, encontrar um rumo positivo mas que ninguém compreendia e apoiava: “só trabalham aquelas que precisam e nunca os ricos devem tirar lugar aos mais necessitados”…
Foi portanto indiferentemente que recebi a tua primeira carta, até desagradadamente. Amigo do Guilherme – meu inimigo. Quando outras cartas chegaram e me forçaram a uma resposta obedeci ainda àquele clima de pacifismo, e mais nada.
Principiaste a contar-me histórias de encantar. Planta que renasce, alegria que não termina, música que se desdobra, caminhos pujantes de frutos. Mas eu tinha medo. Perdera anos com alguém que não me merecera. Mas tu falavas-me em novos conceitos e que me transformarias na mulher realizada que sonhara ser. Mas ainda duvidei. Conhecia-te mal. Convidaste-me a vir conhecer-te de perto, conhecer a tua cidade, o teu trabalho, os teus pais. E eu vim!
Vim e descobri que o teu amor era um sentimento muito diferente daquele que me envenenara. Que me oferecias uma existência moldada em dimensões largas e generosas onde me integraria, liberta. Que todos os meus sonhos (utópicos alguns) se tornariam realidade. E tudo porquê? Porque me amavas sem absorvência doentia, respeitando a minha personalidade.
Vim e fiquei. Somos agora esta coisa maravilhosa: um casal que se ama e a que, no entanto, não basta o amor.
Acabamos de entrar em casa, após um dia de trabalho e preocupações.
Estamos cansados mas felizes. Vivemos!
Perguntei:
- “Que te apetece tomar?”
Respondeste:
- “Uma chávena de café, igual à daquele dia…”

106 comentários:

  1. Na primeira pessoa!...
    Linda essa estória, mas não só. Desafiar as convenções, as regras estabelecidas num tempo em que tudo estava rigorosamente formatado, fugir dessa esquadria, não deve ter sido nada fácil. Mas o Amor tudo pode.

    Bem hajam pelo exemplo e pela coragem.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  2. Soube-me também esta chavena de café!

    Beijinho minha querida

    ResponderEliminar
  3. Linda história, com amor e café, hummmmmm café...
    Vou coar um agora e sentir seu aroma forte assim como os sentimentos da história muito bem descrita por ti.

    Saudade amiga dos nossos chás, sucos e cafés.

    beijo grande no teu coração.

    ResponderEliminar
  4. Olá Graça

    A força do amor que derrubou preconceitos.

    Li ,calmamente, o teu texto(que prende) saboreando um cafézinho.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  5. Esta história, embora contada na 1ª pessoa, não é a história da minha vida... :-)
    Beijos para todos.
    Graça

    ResponderEliminar
  6. Uma linda história, Graça, onde encontramos a força do amor vencendo distâncias e barreiras, como deveriam ser todas as histórias de amor.
    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Draça,
    Que linda história!
    E, veja só acabei de fazer uma postagem sobre as razões do coração. Que aliás não existe lógica nas coisas do coração.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  8. Hummmm...

    uma chávea de café para temperar uma história de amor.Lindo.

    beijo, Graça.Você sempre sabe o que escreve.

    ResponderEliminar
  9. Poderia ser a história da Graça, o nome apenas nos fala de uma época, não muito distante.
    Quantas não tiveram essa força para dizer não e seguir uma caminhada diferente...?
    A segunda parte é um recomeço. Um acreditar e um rejuvenescer.
    Gosto de ler estas vidas que fizeram parte da minha juventude e que me deram tantas provas de compreensão e ajuda.

    ResponderEliminar
  10. Bonita a tua história, existem sempre algumas para contar e esta de amor com uma bebida diferente uma chavena de café
    beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Olá!
    Bela história, leva-nos a refletir sobre os relacionamentos e dá uma vontade enorme de tomar um cafézinho passado na hora...

    Bjs
    Chris

    ResponderEliminar
  12. ________________________________________

    Uma bela história!

    Beijos de luz e o meu carinho...

    Zélia (Mundo Azul)

    _________________________________________

    ResponderEliminar
  13. Uma deliciosa história combinando café, amor e lindas palavras...

    Sentir o cheirinho de café daqui!!

    Beijos minha querida!!^^

    ResponderEliminar
  14. Como sempre tua escrita nos faz viver a história.
    E até me apetece uma chavena de café, apesar da hora.
    Se quiser dar continuidade à história, estou aqui, instalada à espera.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Sua bela história me leva a tomar um gostoso cafezinho com o meu amado.
    bj

    Fui!

    ResponderEliminar
  16. História maravilhosa, eu adorei, parabéns!
    Deus abençoe você e sua família.
    Beijos no coração.

    ResponderEliminar
  17. Querida amiga Graça!

    O que um café pode fazer
    com o seu aroma e seu sabor
    juntar um homem e uma mulher
    a viverem um grande amor

    Às vezes é preciso conhecer
    o outro lado da barricada
    para que não se possa fazer
    uma avaliação precipitada

    Gostei muito desta história
    bem contada ao teu jeito
    ficará para sempre na memória
    e guardada dentre do peito

    Como duas bebidas podem juntar
    seja vinho champanhe ou café
    com o seu sabor e paladar
    mais uma bebida aqui para Zé

    Uma boa Semana,
    com um beijinho meu,
    José.

    ResponderEliminar
  18. Boa tarde, querida amiga Graça.

    Que maravilha de romance real... Adorei!!!

    Parece cinema, parece teatro... E é a vida real.
    Obrigada por compartilhar.

    Beijos no coração.

    ResponderEliminar
  19. Boa tarde, querida amiga Graça.

    Que maravilha de romance... Romance real.
    Parece filme, teatro... Adorei!!!
    Obrigada por compartilhar.

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  20. Sempre que aqui venho me encanto!
    Monhé

    ResponderEliminar
  21. Olá Graça,como vai? Que bom voltar a te ler.Um primor sua narrativa, não desgrudei o olho da telinha.Tudo que fala e exalta o amor faz bem até à alma, não é Graça? E ainda na companhia de um café ...Hummm...delícia.:)

    Um beijo. Estou de volta.

    ResponderEliminar
  22. Oi amada,me perdoe pela demora mas estava viajando.
    Que texto maravilhoso,o li inteirinho com muita atenção, me deu até vontade de tomar uma xícara de café rs
    O amor verdadeiro é esse,sem contradições e sem mais nem menos.
    Perfeito.
    Parabénssssssssssssssssss.
    Beijokas millll.

    ResponderEliminar
  23. Amiga Graça. Li o texto que prende ao ler,se é ou não na primeira pessoa,para mim basta o que li,e como o tempo era diferente e reflectirComo é bom tomar café a dois.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  24. Gosto muito de café...adoro os teus contos! Quando comecei a tomar a 1ª chávena, o café estava amargo...não estava a saber-me bem; à medida que foi lendo o texto foi-me apetecendo outro cafezinho...não tive vergonha de pedir outra chávena de café; comecei a tomar e a achá-lo delicioso; tinha um aroma diferente este segundo café...era saboroso; diferentes também eram as mãos que mo ofereceram; mãos de uma mulher feliz que soube lutar para que o seu amor a entendesse, a respeitasse como um ser diferente; um amor que permitiu que se sentisse realizada, que permitiu que outros amores, que outros interesses se juntassem à vida dos dois. É que o amor só não basta! Um outro cafezinho agora também iria bem!!! Beijinhos Graça e me espera...voltarei para outro café
    Emília

    ResponderEliminar
  25. Minha Querida Amiga Graça,
    Este cafézinho bem aromático revela uma bela história que não sendo real poderia ter sido... e talvez até tenha acontecido com pessoas que desconhecemos! E eu que até gosto do café sem açucar por apreciar o seu travo amargo... É que costumo dizer por graça que doce sou eu!!! Vaidoso que sou, não acha? Presunção e Água Benta cada um toma a que quer...
    Um beijinho muito amigo.

    ResponderEliminar
  26. Mais uma grande e bem contada história.
    Simplesmente fascinante.
    Vejamos através duma chávena de café o texto
    que surge...boa Graça.
    Um beijinho/Irene

    ResponderEliminar
  27. Mais uma grande e bem contada história.
    Simplesmente fascinante.
    Vejamos através duma chávena de café o texto
    que surge...boa Graça.
    Um beijinho/Irene

    ResponderEliminar
  28. Olá Graça! Obrigada pela visita em meu blog e pela delicadeza do comentário! Tudo muito lindo por aqui... Sábias reflexões!
    Beijos, muitos, e seja sempre bem vinda!
    Izabel

    ResponderEliminar
  29. Bom dia, Graça, linda e emocionante crônica!
    Vida: mistério, mito, aventura, mar. Navegar por nossos mares interiores, lançar-se na desconhecida rota do futuro tendo como guia o instinto. Enfrentar, no trajeto, procelas e vergalhões. A nau da existência é frágil, mas é possível contornar penhascos, superar turbulências, vencer a sedução das sereias, chegar ao porto desejado. Nascemos para seguir em frente, transpor obstáculos, conquistar. Olhe para o céu, pegue uma estrela como bússola, prossiga na viagem. Deus está ao seu lado.

    Beijos, querida amiga!

    Edward de Souza

    ResponderEliminar
  30. Uma linda história contada com a suavidade a que já estamos habituados, obrigada Graça por estes simples e doces momentos, vou beber um café...
    Bjs

    ResponderEliminar
  31. Olá Graça,

    Agradeço a sua visita, as palavras,e por estar seguindo o DRAMA.

    O blog “DRAMA NA WEB” trata-se de um veículo diferente, não o criei na intençã de blogar e interagir, e sim como um espaço para postar meu romance especialmente para os amantes da leitura.

    Perdoe-me se não retribuo todos os comentários, mas a intenção é justamente essa:deixar os leitores a vontade para seguí-lo, ou não.

    Publiquie mais um capítulo.

    Um beijo meu.
    Bia Franco

    ResponderEliminar
  32. ...cafe
    luz vida si
    sabia
    combinación
    llena de ternura...



    un abrazo GRACA :



    j.r.s.

    ResponderEliminar
  33. O amor possessivo é mesmo doentio.
    Ainda bem que não entraste nesse túnel sem saída...
    Querida amiga, o teu texto (conto?) tem uma boa narrativa e é muito interessante. Gostei imenso.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  34. Olá Graça

    Lindíssima esta história que tão bem nos contas na primeira pessoa.

    A tua história de amor, ou de outra pessoa qualquer, ela é bela, bem construída e contada com o coração.

    Parabéns, amiga.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  35. Um texto sereno e muito intimista. Gostei muito.
    Cumps

    ResponderEliminar
  36. Graça!

    És uma contadora de histórias de primeira grandeza e o seu café...maravilhoso!

    Um beijo e meu carinho!

    Sonia Regina.

    ResponderEliminar
  37. Boa noite Graça,
    embora não seja a história da sua vida, é uma história linda de amor e coragem, contada por alguém que a viveu de perto.

    Adorei, uma história de amor e uma chávena de café, uma combinação perfeita!

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  38. Graça

    Mais uma história tão doce! A vida numa chávena de chá...

    beijos
    Anne

    ResponderEliminar
  39. Graça minha querida
    Perfeito e excelente texto.
    Quebras de convenções, estipulada por uma sociedade cheia de limites e quão ilimitada vive...

    Ao final o amor vence, porque firme dignifica, prismando horizontes, vivenciando sentimentos que entre si incere e sem medida sempre renovando
    Brindando nas emoções coniventes uma chavena de café.

    Saudades senti daqui.
    Voltei para mais uma caminhada ao número 2011

    Bjs

    Livinha

    ResponderEliminar
  40. Oi Graça, até que enfim consgui chegar ao teu Blog, e logo na hora que estas a oferecer um cafezinho! Descobri como chegar até aqui através do belo Blog da Amapola, onde encontrei um comentário seu. Gostei demais do seu conto, como você, também, gosto de escrever na primeira pessoa. Já sou sua seguidora.

    ResponderEliminar
  41. Olá querida Graça.
    Mais uma história linda!
    Continuação de uma boa semana.
    Beijinhos,
    M. Céu

    ResponderEliminar
  42. Querida Graça,

    Querida Graça,

    caminhas com maestria pela tortuosa estrada onde o ponto final sempre pode ser o melhor início.

    Belíssimo conto!

    Sempre muito prazeroso ler seus escritos.

    Bjs, amiga. Inté!

    ResponderEliminar
  43. Bonito conto em que o ultrapassar de convenções ditadas por uma sociedade rígida se transformam numa bonita história de amor.
    Passei por aqui e gostei. Parabéns pelo blog.

    ResponderEliminar
  44. Amiga lamento não fazer um comentário à altura mas a minha condição física por enquanto não me deixa pois a minha cabeça está com muita dor e ainda não sei o que é. beijinhos de luz e paz.

    ResponderEliminar
  45. Olá Graça.
    Linda história de amor com sabor a café.
    Não é a tua mas podia ser a de qualquer uma de nós.
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  46. Que bebam muitos cafés unidos no amor, na compreensão e respeito pela liberdade de cada um.

    ResponderEliminar
  47. Graça, Deus abençoe essa sua sensibilidade ao descrever em suas palavras uma historia assim...lindo!
    Beijosssss e acho que vou tomar um cafézinho

    ResponderEliminar
  48. O sono chega
    quando a noite tenta
    pendurar-se em minhas pálpebras
    amarrando estrelas
    - uma a uma -
    em cada cílio.

    Rita Apoena

    Beijos e Flores no seu dia...M@ria

    ResponderEliminar
  49. Graça querida,elogiar as suas postagens é muito fácil,pois já lhe disse várias vezes ,que vc é uma das melhores narradoras que conheço.Vc tem o dom de nos prender do princípio ao fim.Falando nisso,já leu o livro que lhe enviei?
    Mas,aproveito para tomar uma xicara de chá com vc...Hoje,aceitaria um de camomila.Obrigada!!
    Ótimo fim de semana!!!Sempre Emilinha

    ResponderEliminar
  50. Graça amiga!Como eu gosto de ler tudo que escreves seja real ou não e como gostáva de estar a beber um café contigo"mesmo não gostando de café" te admiro muito e te quero com muito carinho.
    Hoje tens uma rosa lá no meu blog para ti
    Bjs
    Graça

    ResponderEliminar
  51. Graça
    Agora todos os dias que tomarei a minha chávena de café,irei de certeza me lembrar da tua bela história.
    Já bebia uma chávena agora,fiquei com água na boca,como é costume o povo dizer!
    Um beijo de
    Zé Alves

    ResponderEliminar
  52. Graça minha querida,
    Que coisa mais linda deixaste pra mim, perolas dos teus escritos...
    Me sopraste a esperança talvez quem sabe, do real a se desejar...

    Obrigada...

    Bjs

    Livinha

    ResponderEliminar
  53. eu também quero uma chávena de café!

    forte e escuro, sem natas por favor...

    bonita a história, Graça!

    um beijo

    manuela

    ResponderEliminar
  54. Brilhante e Sublime Amiga:
    Um delicioso e fabuloso texto que já não surpreende ninguém: o seu enorme e gigantesco talento literário.
    Sabe, a vida é feita de choros, alegrias, tristezas e sorrisos. Dá voltas e voltas sem parar e ouvir atentamente que tem um precioso e extraordinário sentir. Notável. O que acaba de narrar é de uma insensatez de não lhe darem o valor de ouro puro que possui.
    Fiquei mais uma vez, sem fala. Em silêncio. Há espera de mais e mais.
    Merece a felicidade e um "café" de beleza e ternura, acredite? É um ser humano magistral de encanto, com H maiúsculo.
    Estupefacto pela sua vida e um pensamento sobre ela admirável e brilhante bem à sua medida genial.
    Abraço amigo de respeito pela visita significativa de maravilhar ao meu blogue.
    Sempre seu fã.

    pena

    MUITO OBRIGADO, terna amiga.
    É fantástica no que descreve com pureza e beleza.
    Adorei.
    Criou um ímpar instante de fazer pensar na existência feliz da sua maravilhosa forma de estar correcta e exemplar, num carácter bem formado sem hipócrisias ou sentimentos egoístas isentos da liberdade para sonhar.
    Parabéns sinceros.

    ResponderEliminar
  55. Graça,

    Teus textos, despertam todas as emoções!!!


    Beijos,
    AL

    ResponderEliminar
  56. Amigos/as já fui ao médico tenho os meus exames de diagnostico
    Para fazer, foi-me dito que sofria de uma cefaleia aguda, mas estou muito medicada
    Graças a Deus estou melhor, e, já posso vir aqui mas sem abusar.
    Peço desculpa pelo tipo de comentários serem todos por igual
    Eu não gosto muito mas foi a maneira melhor, para vos dar uma satisfação.
    Porque quando gostamos dos nossos amigos sabemos que todos gostam de ter noticias nossas.
    Espero dentro em breve tudo voltar ao normal, beijinhos de luz e muita paz em vossos corações, cada amigo que eu tenho é uma estrela a mais que nasce no céu.

    ResponderEliminar
  57. Olá, Graça
    Gostei imenso desta história em que a "heroína" consegue, a tempo, ser liberta de uma ligação que iria torná-la infeliz para toda a vida.
    Embora não a situes temporalmente percebe-se que se passa naquele tempo ainda obscuro em que era "feio" uma noiva terminar o noivado, mesmo que não gostasse muito do noivo.
    Escrita com a tua habitual fluidez, lê-se com muito agrado, percebendo-se nas entrelinhas tudo o que fica por dizer.

    Bom fim de semana. Beijinhos

    ResponderEliminar
  58. GRACINHA: Cheira-me tão bem, este teu café! Ainda agora me cheira, de tão linda que é a história do teu amor!
    Como deve ter sido especial, para preencher a tua vida para sempre...
    A educação era essa, educar para as convenções sociais de então, machistas, pois claro!
    Como um simples café pode transformar uma vida no paraíso que desejamos!
    Obrigada, minha querida ,por essa narrativa linda que te escorre pelos dedos como água de Lótus e Jasmim!
    BEIJOS
    Mª ELISA

    ResponderEliminar
  59. Graça querida, saudades de ler você.
    Sua estórias sempre me encantam. Essa, um escândalo de lindo...parabéns.

    BeijooO*

    ResponderEliminar
  60. Graça, amigamada!
    Vai aí de um cafezim bem minerim? Coado em coador de pano, num fogão a lenha...Pouco importa se é sua ou não essa história...Importância é esse amor compartilhado e vivido...Forte e quente como uma boa xícara de café!
    Beijuuss n.c.

    ResponderEliminar
  61. Graça, mais um excelente texto para abrilhantar nossas mentes e vidas.
    Te desejo um ótimo final de semana, que esteja repleta de paz no coração.
    * Desculpe não ter respondido antes, estou com problema no PC. (tela azul)

    Um abração

    ResponderEliminar
  62. Minha querida

    Mais um belo texto...histórias de vida sempre, adorei.

    Beijinhos com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  63. Maravilhoso conto, bem escrito, com uma história bem delineada. Parabens!
    Ligia

    ResponderEliminar
  64. Amiga

    MARAVILHOSO
    O QUE ESCREVES!!!
    PARABÉNS.

    É assim...
    ando muito desanimada com o mundo que me rodeia; já pensei seriamente em "bloquear" os comentários nos meus 2 blogues, precisamente por coisas que as pessoas dizem sem pensar!!!
    Mas...depois,
    ficaria triste por não receber palavras simpáticas que algumas pessoas lá escrevem.

    O problema principal da vida do ser humano é a falta de saúde!
    É por isso que vou aproveitando, enquanto a saúde me permite, fazer o que mais gosto, pode ser ir ao cinema ou viajar.
    Acredite que "viajo" todos os dias, mesmo sentada no autocarro, de olhos fechados, a caminho do trabalho e no regresso a casa, passam na minha retina momentos maravilhosos que já passei nas minhas viagens.
    Acredito que é isso que me vai mantendo "Viva"!

    Tempo felizmente não me falta, faço a gestão do tempo de forma a ter algum para mim.
    Faltam-me "outras coisas"!

    Beijos.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  65. Maravilhosa amiga,
    Embora haja um Guilherme que não é o meu na tua deliciosa crônica (risos), esse café tornou-se mais saboroso, sabor de amor de verdade. Sabor da mais pura verdade num relacionamento.
    Parabéns e um ótimo final de semana, Graça!!!Bjsss

    ResponderEliminar
  66. Agradeço a tua visita, volte sempre...
    Eu sempre penso que crônicas contadas na primeira pessoa são o retrato de quem escreve...
    abs,

    ResponderEliminar
  67. Olá minha linda e amada amiga! Estou que é só felicidade por poder estar novamente aqui te visitando, te lendo, e absorvendo seus sempre belos, emocionantes, e reflexivos textos! Saudades muitas de ti!!! Abraço-te com sincero carinho... Bjsss

    ResponderEliminar
  68. Querida Graça, que bem que soube esta chávena de café! E de ti só poderia esperá mais uma encantadora e bem delineada história.

    Um beijo

    Boa semana

    ResponderEliminar
  69. Gostei da sensibilidade e da pureza do seu registo, e, sobretudo, da poesia que há nele.
    Peço desculpa por ter eliminado o anterior comentário, mas tal ficou a dever-se ao facto de ter constatado a repetição de uma palavra.

    ResponderEliminar
  70. Graça
    História encantadora, mais que todas as fantasias que enfeitam, tantas vezes, as mentes de "cinderelas" à procura do príncipe encantado! Aqui, fala-se de coragem, firmeza, lucidez e, adoçando o amargo de uma chávena de café, da doçura de um amor que engrandece, porque fundado no respeito pela individualidade, em oposição às convenções, aos preconceitos, ao "status quo" tão frequentemente responsáveis por dramas já por demais anunciados!
    Tudo isto numa narrativa que apaixona o leitor, da primeira à última linha!
    É óbvio que gostei muito, amiga, como sempre!
    Beijinho e bom domingo!

    ResponderEliminar
  71. Ai que delícia, Graça! Adoro os teus textos, amiga! Esse foi com sabor de café!!!

    Estou matando as saudades daqui e de você!!!

    Fui ao médico hoje e o cardiologista constatou que eu tenho você no coração. O médico que cuida da área do sono, me disse que sonhar com você me faz bem! O psicólogo disse que pensar em você é bom! O fonoaudiólogo disse que falar e ouvir o seu nome é ótimo!

    O fisioterapeuta disse que caminhar em sua companhia, mesmo que no subconsciente, é bom, mas tive um alerta - disseram que ficar longe de você é péssimo para minha saúde! E que sentir sua presença, mesmo pelo pc, é o melhor remédio. E receitou teu carinho todos os dias, em uso contínuo. Por isso, eu dependo da sua amizade e do seu carinho! Promete que vai cuidar da minha saúde? rs

    Beijocas e ótimo domingo!
    Sônia Silvino's Blogs
    Vários temas & um só coração!

    ResponderEliminar
  72. Acho que não devemos seguir um caminho por imposição, ou seja, obedecendo normas e preceitos, mas sim, seguindo o que determina o coração. Bela história/estória Graça.

    Beijos e ótimo domingo pra ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderEliminar
  73. Querida amiga adorei vir tomar esta chavena de café. Uma narrativa excelente como todas as que tão gentilmente nos oferece.
    Amiga deixei no meu cantinho “SELINHOS – Presentes dos AMIGOS”, um miminho especial é o “Selo de Qualidade” que recebi e que gostaria de partilhar consigo, pois embora já o tenha recebido, quero deixar também o meu apreço pelo seu blog, um espaço maravilhoso onde a qualidade está sempre presente.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  74. Ah, querida o amor, que delícia, que venham tantos e tantos cafés regado com amor. Muito bom ler e meditar em tudo que você escreve é delicioso. Um lindo domingo minha querida e beijos carinhosos no coração.

    ResponderEliminar
  75. Graça querida,
    É sempre um prazer te ler eu sempre visualizo o lugar, pessoas, muito gostosa é tua retórica poética. Interessante que num pequeno segundo na vida, algo nos desperta amor, para aquele homem foi uma chávena de café oferecida por uma mulher que lhe causou uma forte impressão. Ainda comprometida, entristecida, ele se fez presente e e a faz olhar em outra direção, a do seu coração.
    Lindo isso...e ainda bem que acontece a todo instante no universo.
    Beijos
    Sandra

    ResponderEliminar
  76. .

    .

    "O amor é a asa veloz que Deus deu à alma para que ela voe até o céu."

    [Michelangelo]

    .

    .

    . entre.uma.chávena.de.café . a fé . de um amor sem amarras . garras . que por ora agarras .

    .

    .

    . um bom.domingo .

    .

    . um beijo meu, Graça .

    .

    .

    ResponderEliminar
  77. Uma excelente semana pra ti querida amiga...beijos.

    ResponderEliminar
  78. Linda tarde Graça,
    Bela mensagem de esperança pra quem pensa que é impossivel a concretização dos sentimentos sinceros.
    Tudo tem sua hora, lugar, e mil motivos para acreditar que podemos concretizar nossos ideais de felicidade.

    UM AMOR PRA RECORDAR...

    A esperança não morre
    Já dizem quem sabe bem
    O amor como um rio corre
    Por nossas veias também

    Como se fosse uma miragem
    Nasce assim um grande amor
    O importante é ter coragem
    Venha ele de onde for...

    Entre uma xicara e outra
    Em cada gota provando assim
    Os gestos não tem nada contra
    As mãos se encontram por fim

    Em mim não morre a esperança
    Do amor um dia eu encontrar
    Pra ficar em minha lembrança
    O prazer desse amor recordar

    Assim segue o curso da vida
    Se fomos feitos para amar
    O sentimento nos convida
    Ao amor vamos brindar!

    Um beijo com ternura,
    Jady

    ResponderEliminar
  79. Gaça mimha amiga como aprecio um café e ainda mais acompanhando a leitura desta história de amor e de vida que me emocionou e me fez recordar muitas histórias já presenciadas.

    Como gosto de ler seus posts. Perco a noção do tempo e quando vejo já estou no fim.

    Beijos e uma linda semana

    ResponderEliminar
  80. Simplesmente, ADOREI!
    Deixou-me com lágrimas nos olhos, amiga!


    ***
    Beijinhos GRANDES e FELIZ semana!

    ResponderEliminar
  81. Boa tarde, querida amiga Graça.

    Agradeço-lhe pela honra da sua visita, e também lhe desejo uma semana farta de tudo que a faz feliz.

    Beijos no coração.

    ResponderEliminar
  82. O amor nem sempre está onde o colocamos e por muitas vezes ziguezagueamos fugindo da hora do café (rs*) mas o destino sempre se cumpre!! Boa semana! Beijus,

    ResponderEliminar
  83. graça
    Obrigada pela visita
    E agora sento e contigo tomo o meu café...

    Beijos VERDES

    ResponderEliminar
  84. Graça,
    Oiee...como é bom vir aqui e encontrar textos maravilhosos, que nos leva a uma viagem de sonhos.
    Linda história de amor.
    Obrigada pela prosa e pelo café...rs.
    Que você tenha uma semana muito abençoada.
    Bjus no coração sempre (*_*)

    ResponderEliminar
  85. Te ler em contagem regressiva essa,me acalma ,me seduz e me embala!

    bzu no cuore

    viva la vie

    ResponderEliminar
  86. Obrigada por partilhares esta mágnifica história.
    Embora relatada na primeira pessoa, podemos encontrar também um pouco de quem te lê.

    Os meus parabéns, querida Graça.
    Ahhh.... para quando a publicação do que escreves?
    Medita sobre o assunto.

    Desejos de boa semana.
    Beijos.

    Maria

    ResponderEliminar
  87. Amiga Graça, que bela e sensível história. Não importam os personagens e sim o sentimento nobre, que é o amor descrito aqui.
    Eu a admiro muito, minha amiguinha moçambicana.
    Beijinhos
    Ceiça

    ResponderEliminar
  88. Olá Graça viva bom dia:

    Mais uma bela história que, recordando tempos de outrora me fez vir à memória bons tempos em que um café marcou momentos de beleza harmonial e não só.

    Aquele café que era solicitado por dois nomes (Banheira e simples).

    Isto também recorda outras terras onde a saudade não esqueceu tais momentos de boa felicidade.

    Quanto à perguicite aguda, não é bem isso pois outras andanças tem existido por cá que me faz ter estado ausente deste espaço que não esqueço sempre que a oportunidade surja.

    Bjos, tudo de bom te desejo com uma semana muito feliz cheia de sol e muita paz.

    ResponderEliminar
  89. Saboreei essa chavena de café...uma delicia:)
    Beijo d'anjo

    ResponderEliminar
  90. Minha querida amiga Graça!

    Deliciei-me!
    Saboreie palavra a palavra todo este maravilhoso conto num misto de sorrisos e uma lágrima que teimosamente caiu no final.
    O amor chega sem se fazer anunciar, chega e instala-se e fica para sempre em nós, os que têm a felicidade de o encontrar.

    Adorei tudo, tudo mesmo.
    As cores, o café, este ambiente quente e "cosy" e as tuas palavras, como sempre.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  91. "....Cuidado com os olhares de quem não sabe te amar...
    eles costumam lhe fazer esquecer que você vale a pena... "

    (Fábio de Melo)

    Feliz Semana e Beijos meus! M@ria

    ResponderEliminar
  92. Tantos e tão belos comentários!

    Não posso acrescentar nada! Talvez um: são merecidos!

    Boa semana!

    Beijo,
    António

    ResponderEliminar
  93. Uma linda história, muito bem escrita.
    Adorei

    ResponderEliminar
  94. Graça,

    Uma comovente história de Amor. Sem dúvida foi lindo sentir que o diferente fez a diferença... Amor café combinam muito bem! Eu também tenho uma história assim, de Amor e café...
    Adoro imenso lê-la. Escreves de uma forma envolvente e que me faz viver a personagem do texto.

    Obrigada por teus encantos no meu blog. Adoro receber teu carinho, tua visita e simpatia!

    Beijos para ti

    ResponderEliminar
  95. Graça

    Agradeço tua lembrança de mim.
    Regressei ontem, segunda-feira.
    Vim um pouco doente...

    li essa chávena de café excepcional na escrita, na forma como está contada e adorei...

    E com tantos amigos a responder...(sinto e sei que não faço falta)te lembraste de mim...me encantas! Obrigada!

    Um beijo,

    Maria luísa

    p.s. escrevi um poema simples, mas sentido, mas sou poeta esquecida...Aparece!

    ResponderEliminar
  96. Que encantador...

    Lindo e romântico!!

    *--*

    Será que um dia encontrarei um amor assim?

    xD

    BJãoo

    ResponderEliminar
  97. São sempre deliciosas as histórias que nos contas, e esta com um sabor a café especial...
    Beijinho Graça
    Chris

    ResponderEliminar
  98. Seu blog e excelente, seus textos também são ótimos, vou tentar me inspirar no seu blog para melhorar o meu, se quiser depois e só da uma olhada o link ta logo a baixo: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  99. Olá Graça!
    Costumo dizer aos meus amigos aqui no Brasil, que adorei que viessem ao meu quintal tomar um cafezinho... e desta vez fui eu que adorei vir aqui ler este lindo texto, e me servir também de um café.
    Beijos, do Brasil, pra você
    Vera.

    ResponderEliminar
  100. Olá, como está?

    Depois duma ausência forçada

    aqui, estou de novo, aos pouquinhos,

    a visitar os amigos.

    As minhas saudações.

    ResponderEliminar