segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Todos os Santos…

(Os que já partiram e os que vão a caminho…)

Em memória de todos os nossos familiares e amigos que fizeram o voo maior e que nestes dias lembramos com mais saudades, colocamos flores orvalhadas com lágrimas nas suas sepulturas e acendemos-lhes velas da fé e da esperança….


Quando Veio a Morte

Quando veio a morte,
Quase a não reconheci.
Não trazia caveira
Nem tíbias,
Nem foice,
Nem ampulheta,
Nem mortalha,
Nem catafalco.
Não vinha
Vestida de luto,
Nem envolta
Em véus de viúva
Nem trazia
Luvas pretas.
Não vinha pálida,
Nem apresentava a rigidez
Esquelética
Das más noites.
Não cochichava
As suas duas ou três palavras,
Arrancadas aos soluços,
Com palavras acanhadas
Que nada dizem.
Não trazia água benta,
Nem o aperto de mão,
Nem a chávena de café,
Nem o pêndulo parado,
Nem os postigos fechados,
Nem flores,
Nem coroas.
Veio sem convite
E sem dobrar a finados…


Vinha vestida de Primavera,
De músicas e de cantigas.
Tinha tirado a máscara e ria
Como um recém- nascido.
Falava como a Palavra
Com um acento feliz.
A sua cabeça de ressuscitado
Assemelhava-se à do jardineiro.
Seus passos deslizavam
Como uma dança de namorados,
E vinha

De rosa na mão.


- Jean Debruynne, in "Mourir"

65 comentários:

  1. Minha querida Graça
    Tive em agosto um dia especial junto ao túmulo de meu paizinho. Há 29 anos faleceu em sua terra, Carregal do Sal, e só agora é que fui me despedir.
    Os anos passam, mas a saudade fica muito marcada em nossos corações.
    Que todos os nossos antepassados estejam na paz do Senhor e que olhem por nós.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Minha querida, adorei vir aqui deixar uma flor no seu jardim de saudade, que afinal é o jardim de todos nós.
    Quando ela vier que venha de mansinho,
    traga na mão um ramo de crisântemos e, vá deixando as pétalas pelo caminho.
    Beijinhos de luz e paz enquanto vida...

    ResponderEliminar
  3. Graça minha querida
    Excelente. Ai amiga a saudade devora-nos acredita.
    perdi meu pai, minha irmã muito jovens e depois o meu marido com 43 anitos, meu netinho com 6 mesinhos. A saudade o sofrimento amiga não existem palavras para descrever.
    Beijinho e uma flor tem um feliz feriado querida.

    ResponderEliminar
  4. Querida Graça,

    Um belo tributo a todos os que já partiram e ao que vão a caminho.
    O poema Mourir de Jean Debruynne é simplesmente divino.
    Que assim chegue a morte a todos.

    Tenho um post aqui - http://difusosreflexos.wordpress.com.
    Abre os links, tens lá uma surpresa.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Uma homenagem a todos que já partiram. O poema é lindo.
    Um abraço e bom feriado.

    ResponderEliminar
  6. Linda homenagem Graça!
    Seu blog está uma beleza!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  7. Olá Graça

    Belíssima homenagem às "estrelas" que brilham algures...(gosto de lhes chamar assim).

    Bjs.

    ResponderEliminar
  8. Minha querida

    Um terna homenagem a todos que já partiram...um poema lindo.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  9. Graça amiga,

    Não sei se viste o tal link? Não creio pois a ele não te referes.
    Abre na palavra nós em azul.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. A morte travestida
    pronta a tirar a vida
    Quando vier
    que venha (sem se fazer anunciar)

    ResponderEliminar
  11. AMIGA
    ...
    é assunto que não gosto de lembrar
    nem falar
    principalmente se for em dias específicos
    Para mim, essa lembrança
    a presença de quem amamos
    está connosco sempre que quisermos
    sempre que simplesmente ACONTECER!

    Falemos de outras coisas:
    Convido a ver a
    LEGIÃO ESTRANGEIRA,
    sabe um dos lugares onde existem?
    ...
    Os legionários recebem seus vencimentos quase que totalmente livres de despesas.
    As refeições feitas no quartel são gratuitas de segunda a sexta-feira, e nos finais de semana pagas à parte (cerca de 4 euros).
    Aos salários iniciais, em torno de mil euros para quem serve no continente e de 1,5 mil para os alojados na ilha da C-----a, juntam-se os prémios e bonificações pagos, quando os soldados partem em missões fora do território francês. Conforme o caso, os soldos podem até triplicar.
    A rotina na ilha, se resume a fazer faxina, cuidar das fardas, lustrar botas, praticar exercícios físicos e estar sempre "ligado", pronto para ser chamado a qualquer hora do dia ou da noite.
    Nos finais de semana, impecavelmente uniformizados, os legionários são liberados para ir à cidade, apesar de que nem tudo o que diz respeito à vida mundana é permitido.
    Nada de discoteca, de baladas com mulheres ou bares mal afamados. "Somos controlados. Temos que ter um comportamento exemplar", acrescentou.

    ResponderEliminar
  12. Olá Graça, linda homenagem aos que já partiram. Lindo poema que adorei. Beijos com carinho

    Quero morrer bem de dia
    No mar da minha saudade
    Em cama da nostalgia
    Em sonhos de mocidade.

    ResponderEliminar
  13. É Graça, uma escolha e homenagem sensível aos nossos amados que deixam em nós a saudade eterna de uma vida!
    Beijuuss n.a.

    ResponderEliminar
  14. Graça, bonita a sua homenagem.

    Interessante esse poema que tenta mostrar uma face mais suave da morte, mostrar que ela pode não ser tão feia como a pintam.

    bjs

    ResponderEliminar
  15. Que lindo, Graça,
    Podemos concluir que, até na morte podemos encontrar delicadeza... uma rosa que perfuma a vida, perfuma também a morte.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  16. Olá! ;D

    Venho te convidar para conhecer o mais novo livro de minha autoria: O POMO DE OURO.

    SINOPSE: Henrique foi instruído nos mistérios da Maçonaria desde criança e tornou-se um bom Mestre Maçom. Entretanto, por ocasião dos atentados ao World Trade Center, no dia 11 de setembro de 2001, Henrique descobriu coisas tão perturbadoras que fizeram ele se afastar da Maçonaria e isolar-se do mundo, até que sua amiga Eva Cristina foi procurá-lo para ajudá-la a decifrar um código que o pai dela havia deixado numa carta antes de falecer em suas explorações arqueológicas. A partir daí, Henrique se vê obrigado a usar de seus conhecimentos secretos da Maçonaria para ajudar Eva a encontrar e devolver a quem de direito um objeto do qual depende o futuro da humanidade: o pomo de ouro.

    Com uma narrativa dinâmica e envolvente para uma trama repleta de mistério, aventura e reviravoltas, o leitor é apresentado a uma série de contradições envolvendo os atentados de 11 de setembro, se torna conhecedor das mentiras da Igreja Católica e dos mais finos mistérios da Maçonaria, além de ficar a par da interpretação contundente de um conjunto de profecias que parece estar se concretizando a todo o momento em nosso tempo.

    Realidade? Ficção? O Pomo de Ouro é a leitura mais intrigante, polêmica e misteriosa dos últimos tempos. Um livro único e imperdível!

    LEIA 07 CAPÍTULOS DO LIVRO GRATUITAMENTE NO BLOG:
    http://opomodeouro1.blogspot.com/

    Espero que goste da leitura.

    Um grande beijo pra você! ;D

    ResponderEliminar
  17. Guardo sempre um respeitoso e sentido silêncio nas palavras sobre aqueles e aquelas que nos levarama alma, mas associo-me a palavras tao belas que aqui deixa por estes dias.

    Oxalá meus Pais tenham a eternidade...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  18. há sempre um caminho, com muitos sentidos

    uns paralelos, outros cruzados

    os que partiram permanecem, ou somos nós que também vamos?

    um beijo

    manuela

    ResponderEliminar
  19. Também tenho muitas flores de saudade que fui
    deixando no dia de hoje. Mas a minha saudade
    é permanente.
    Paz aos que partiram.
    Beijinho
    Irene

    ResponderEliminar
  20. .

    .

    . é amanhã o dia de finados . é hoje o dia de todos os Santos . pela minha avó . pelo meu pai . e por outros familiares que já partiram . e por todos os familiares e amigos dos meus amigos que já partiram . e por todos aqueles que já partiram do mundo .

    .

    . rezo . e peço a Deus que os receba junto da grande família eterna . da qual também faremos parte um dia . por.que todos nós somos para sempre .

    .

    . TODOS NÓS SOMOS PARA SEMPRE . DESDE O DIA EM QUE NASCEMOS .

    .

    . um beijo . graça . sempre amigo .

    .

    .

    ResponderEliminar
  21. Um dia triste que mesmo com sol se torna cinzento...
    Bjs

    ResponderEliminar
  22. Hoje um dia muito especial para todos nós, pois é dedicado aos que partiram e que de alguma maneira deixaram marcas nas nossas vidas; todos os dias esses queridos que se foram são lembrados com saudade pelos nossos corações; neles está gravado para sempre o significado que tiveram na vida de cada um de nós e é esse significado que, para nós, os tornará eternos. Um beijinho, Graça, e que este dia tenha sido para si um dia de paz interior junto de todos os que homenageou. Até breve
    Emília

    ResponderEliminar
  23. Nossa, Graça!! Disse tudo, descreveu tudo e bem realista...gostei!

    beijos

    ResponderEliminar
  24. Que todos os que se foram se lembrem de nós, que caminhamos nessa terra de meu Deus!
    Beijos cheios de Graça

    ResponderEliminar
  25. Graça!

    Emocionei-me muito ao ler o seu poema!

    Gostaria que a morte fosse assim vestida de flores primaveris e de misteriosos sorrisos...quem é que pode dizer?

    Muito,muito lindo!

    Um beijo carinhoso!

    Sonia Regina

    ResponderEliminar
  26. dia de todos os santos. Segue-se o ritual da visita aos cemitérios embelezando com flores e velas os locais da última morada dos que foram seres vivos entre nós.Recordo os antigos dizerem: Que a terra lhe seja leve.
    Agora, presentemente, podemos dizer : que sejam leves os dias que temos pela frente.
    Gostei da sua homenagem prestada aos que já foram.

    ResponderEliminar
  27. Graça, a Paz!
    Se viesse caracterizada como descrevem a maioria das pessoas, correriamos, mas alguns se entregam e realmente ficam com um ar de descanso e serenidade.

    Graça e Paz!

    ResponderEliminar
  28. Uma homenagem tocante, amiga!
    Minha querida amiga! Fiquei imensamente feliz ao ler a poesia que fizeste para mim!!!!!
    Postei no meu blog Resgatando emoções, amiga!
    Grata por tanto carinho! Moras no meu coração!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  29. A morte vista através dos olhares dos crentes!
    Lindo poema.
    Estás bem?
    Beijo
    Teresa(Quelimane)

    ResponderEliminar
  30. Oi Graça, como sempre um belo poema. Que nossos entes queridos descansem em paz!

    ResponderEliminar
  31. Bom dia
    É difícil ler este poema sem voar em pensamento para os nossos entes queridos. A sua partida e a saudade que a eles nos liga.

    Um poema diferente com o cheiro de Primavera e o canto dos passarinhos que nos ensinam a liberdade.

    A morte será apenas um encontro no silêncio dos vivos, soltando-se das amarras feitas de pó.

    ResponderEliminar
  32. E porque não pode ser assim a morte, nesta imagem tão chei de esperança e vida? Os que cá ficam é que a pintam tão negra! Um poema feliz para um dia que todos desejamos que, os nossos ausentes, estejam nessa felicidade.
    Beijo
    Ligia

    ResponderEliminar
  33. Um dia para recolher-se em lembranças dos nossos que não mais estão entre nós mas que passeiam sempre em pensamentos carinhosos.
    Um grande abraço e desculpa as ausências, minha amiga, mas ando um pouco afastada.

    ResponderEliminar
  34. Que todos descansem em paz...beijos de bom dia pra ti amiga.

    ResponderEliminar
  35. Olá, Graça!

    A morte encarada doutra forma, recebida como libertação, início de nova estação, novo começo.
    A morte, afinal, travestida de vida!
    Imagino que seja "bom" acabar assim...

    Bonita homenagem aos que já foram, através dum lindo e profundo poema.

    Beijinhos; boa semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
  36. Linda e sentida homenagem... E que Deus os tenha acolhidos em Suas mãos...

    Beijos

    ResponderEliminar
  37. Linda homenagem reveste as saudades nesses dias! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  38. Uma bela homenagem para os que se foram, agora resta-nos a SAUDADE.

    Obrigada Graça pelasua companhia.

    beijooo.

    ResponderEliminar
  39. Olá Graça bom dia:

    Bela homenagem a todos os que já partiram deste mundo em conflito total.

    Quando se olha para trás e se recorda os tempos de juventude, este dia para muitos é como um não existir nas mentes de outros tempos.

    Vive-se actualmente numa tormenta total onde o desenfrear constante da ganância e de interesses pessoais não lembra que a todos este dia está destinado.

    Quando veio a morte,
    Quase a não reconheci.

    Aqui nestas duas linhas está tudo dito a quem defacto a encara sem medo.

    Parabéns amiga por esta tua tão bela escolha e por este teu grande post.

    Bjos, saúde e felicidades.

    ResponderEliminar
  40. Olá, Graça!

    O escritório impediu-me de visitar o seu blog, como faço com frequência; hoje, nesta visita, encontrei a postagem desse belo poema, "Quando Veio a Morte", em homenagem aos parentes e amigos que não estão mais entre nós. Parabéns.

    Abraços,
    Pedro.

    ResponderEliminar
  41. graça


    Tenho andado aflita com o meu pc só hoje consegui entrar no blog.

    deixo um beijinho e as desculpas pela ausência..

    beijinhos e volta sempre

    ResponderEliminar
  42. Minha mãe dizia que a morte não deve ser tão feia como se pintam, e sim uma viagem para refletir. Beijos

    ResponderEliminar
  43. Belíssimo este poema, dismistificador de tantos medos à volta da morte. Sofrer sim é difícil, mas partir nem sempre é acompanhado de sofrimento e nem sempre o sofrimeto quer dizer partir...há quem sofra tanto com a vida...!
    Somos eternos enquanto amamos e ficamos na nossa essência, sempre, chegamos muitas vezes de mansinho com este cheiro a rosas perfumadas de carinho e saudade.

    Adorei Graça, esta sensibilidade e a imagem é inspiradora.

    Beijinhos.
    Branca

    ResponderEliminar
  44. Um poema muito bonito!
    De facto a morte faz parte da vida, (como alguém disse) e, como tal, é preciso saber encará-la, saber receber essa rosa tranquilamente quando nos for dirigida.

    Um beijo


    PS: tenho tido dificuldades em comentar, aqui. Não sei se acontece só comigo.

    ResponderEliminar
  45. Muito lindo e outra maneira, esta bonita, de ver a morte. Gostei.
    Monhé

    ResponderEliminar
  46. Que todos tenham tido essa passagem linda e que nós que desde que aqui chegamos estamos na estrada para atravessar ess'a ponte, tenhamos essa passagem tão amena. Linda e delicada homenagem.

    ResponderEliminar
  47. Querida Graça!

    O primeiro é para rir
    O segundo para meditar
    é sempre muito bom te ouvir
    o que tens para me contar

    "Não tive problemas com o rato...
    embora com passos lentos.
    Pûs a seu lado, o meu gato
    Para não haver desalentos!!"

    "Tenho muita pena, isso sim
    de não dispor de muito tempo
    mas espalho pedacinhos de mim
    em obras, noutro momento!"

    A morte chega de mansinho
    de dia ou pela noite calada
    entra entra tão devagarinho
    não avisa a gente nem nada

    A todos os que já foram
    deixaram tanta saudade
    chegará o dia e a hora
    de eu ir para vosso lado.

    Desejo-te um óptimo fim de semana,
    um beijinho grande grande,
    José.

    ResponderEliminar
  48. Olá,Graça!!

    Um lindo tributo querida!!
    Aqueles a quem amamos, permanecem vivos em nosso coração.
    Beijos pra ti!
    Bom final de semana!

    ResponderEliminar
  49. Bela homenagem, obrigada pelo poema.
    Um beijo,

    alece

    ResponderEliminar
  50. ... e um belo final de semana pra você.
    Beijocas

    ResponderEliminar
  51. Fiz a escalada da montanha da vida
    removendo pedras e plantando flores.

    Cora Coralina

    Bom Fds e o meu carinho...M@ria

    ResponderEliminar
  52. Que poema lindo, amiga querida!
    Depois que meu pai partiu para o "andar de cima", me emociono muito com essa data.
    Bjs,

    ResponderEliminar
  53. É assim que ela chega,
    sem convite e sem aviso
    enquanto alguém na espreita
    a vê sem cara, sem jeito, sem riso...

    Belíssimo poema, tão sentido

    Feliz dia pra ti

    Bjs

    Livinha

    ResponderEliminar
  54. Beijo e meu kandando
    com muita ternura amiga Graça.

    ResponderEliminar
  55. Linda homenagem!...
    Amiga, obrigada pelo teu cuidado e atenção.
    Lentamente vai voltar ao normal.
    Bom fim de semana, jinhos grandes

    ResponderEliminar
  56. Graça
    Lindo poema , amiga, pleno de oportunidade e verdadeiro tributo à vida e à memória dos que já passaram - a morte, assim, será uma bênção!
    Beijinho
    Quicas

    ResponderEliminar
  57. Amiga Pura de Excelência:
    A morte quando chega não avisa.
    Retratou-a de forma digna, tudo o que desejo quando partir. Dignidade, na vida e na morte.
    Parabéns. É divinal no que escreve com sensatez e lucidez.
    Beijinhos de pureza ao seu encanto de escrever de forma notável e plena de brio fabuloso.
    Com respeito e sempre a admirá-la imenso.

    pena

    ResponderEliminar
  58. Passei. Não querendo perturbar o seu recolhimento deixo um abraço e votos de bom Domingo

    ResponderEliminar
  59. Minha vida é poesia viva...
    Minha Vida é Poema
    Verso e prosa.

    Lúcio Tércio M. Alencar

    Beijo-te a alma e o coração! M@ria

    ResponderEliminar
  60. Bom dia, Graça,

    Vim trazer-lhe um abraço e dizer-lhe o quanto foi lindo, o quanto me emocionou seu comentário de ontem lá no Prosa. Muito obrigada.
    Você é pessoa de sensibilidade incontestável e faz de seus momentos mais difíceis a força que a impulsiona pela vida a fora, a coragem para continuar.
    Beijos e, mais uma vez, obrigada

    ResponderEliminar
  61. Amiga Graça que homenagem maravilhosa, que poema lindo.
    Um bom restinho de domingo e uma excelente semana.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  62. Confesso que esse texto me intrigou. Não consegui entender o significado dele... tentei relacionar com os meus "mortos", mas não consegui identificar uma morte que vinha sorrindo com rosa na mão... apenas identifiquei a rosa... Que nem era rosa, se bem me lembro... Mas o texto é bonito, bem rimado, melodioso até, eu diria. Se lê como se as palavras estivessem dançando, como a morte dançando... Por isso gostei, por isso comento aqui. Um abraço e parabéns pelo texto intrigante!

    ResponderEliminar