sábado, 15 de agosto de 2009

Melancolia


Hoje a melancolia chegou de um modo inesperado, mas lindo! O sol parecendo um imenso olho laranja com uma auréola vermelha, mergulhava feliz no mar calmo
da tarde.
Faltavam as doces palmeiras e eu estaria fisicamente na minha terra. As temperaturas altas do dia deliciaram-me. Cruzei os mares, mergulhei no Índico e recebi sorrisos não poluídos.
De vez em quando acontecem emoções na minha vida… Alguém tem pena de mim e envia-me estas ondas de melancolia um pouco em desalinho. O sol queimava e ficava na minha pele.
Ao fechar os olhos, o mar sussurrava cânticos que eu conheço de longe. Seria verdade? Onde estaria?
Na minha procura nunca saciada e nos encontros por celebrar, colhia absurdamente respostas para tantos enigmas. Neste tempo sem horas, no montão de uma quinquilharia desordenada, encontrava o essencial.
Bater as asas e voar para outra latitude não é difícil. Pode ser um delírio. Mas há um caminho que me conduz sempre aonde eu quero. E recomeço mais uma vez…
Estrada de areia batida por pés descalços, doridos, mas felizes... Espero que me reconheçam. Passou tanto tempo… Talvez nos meus gestos encontrem afectos de outras horas. O coração nunca envelhece e o meu, morre jovem. Saberão encontrar-me no meu sorriso, embora o meu passo seja mais lento. Eles, parecem-me os mesmos, humildes na sua pobreza, mas livres.
Não, não quero acordar!
Sei que a noite caiu a meu lado, mas os meus olhos estão forrados de manhãs azuis. Os sonhos são rápidos e trazem-me uma alegria enorme que me invade e transforma a minha realidade. Desesperadamente fecho ainda mais os olhos, procurando segurar-me na inquietação do imediato.
Não posso ficar aqui indefinidamente! Abro os olhos devagar, muito, mas muito devagar e olho… as estrelas. Tinha-me esquecido delas. Brilham como contas.
A maré devolveu-me ao ponto de partida. Escuto os sinais. Pode não ser tudo, mas é alguma coisa. Se o exterior me fere, então, recolho-me na minha concha que o mar acaba de devolver à praia... E nela sim, no seu (meu) interior, está o paraíso que eu procuro.
Prolongo o círculo, alargo os braços e o meu desejo confunde-se com o vagar das ondas…


Apetece-me cantar, dançar à volta da vida vivida… Quantos terão, assim como eu, tesouros? Afinal, vou levar a melancolia comigo e, quando quiser, basta fechar os olhos e percorrer a viagem misteriosa da vida.
Regresso ressuscitada, disposta a cruzar-me com todos e ensinar-lhes a possibilidade de serem felizes.
Os meus olhos estão cansados, mas o meu coração, apesar de bordado com tantas cicatrizes, canta uma canção feliz e olha o futuro na plenitude deste momento.

31 comentários:

  1. Graça,

    "Os meus olhos estão cansados, mas o meu coração, apesar de bordado com tantas cicatrizes, canta uma canção feliz e olha o futuro na plenitude deste momento."

    Há coisas que não se explicam! Revejo-me em cada palavra do teu texto!!!

    Beijos...

    ResponderEliminar
  2. Graça, esquece a melancolia e vem comigo subir a serra!
    A jornada vai ser longa, vamos encontrar novos amigos, vamos encontrar o fascínio da natureza, vamos encontrar novos amores e paixões...
    A marcha é desafio para o corpo e sentidos, mas o tempo é todo nosso, temos todo o tempo do mundo na juventude do nosso espírito, e quando chegarmos ao cimo, vamos descansar no encanto da paisagem, nos horizontes do paraíso abertos à imaginação, e só vamos descer ao vale, quando nos cansarmos de descansar, quando desistirmos de acompanhar a vida...

    Um beijo e bom fim-de-semana, Graça.

    Carlos Gonçalves

    ResponderEliminar
  3. Que blog tão lindo... com só lindas sabem ser as coisas que nos tocam... ainda bem que me encontraste!!!!

    ResponderEliminar
  4. Vim retribuir e agradecer sua visita ao meu blog.
    Adorei o seu... é lindo.
    Fica com Deus,beijos!

    ResponderEliminar
  5. Tocas qualquer pessoa que te leia, com a tua
    serenidade,leveza,encanto,delicadeza e doçura.
    Tenho a certeza que isto é o espelho da tua alma.
    És mesmo uma força da natureza ,minha amiga.

    Paula

    ResponderEliminar
  6. Lindo texto , só uma pessoa maravilhosa e bastante romantica poderia descrever os seus sentimentos num texto tão bonito !Graça você é uma graça que nos enche de carinho por si a todo o momento, Pereira que o seu fruto nos dá o sabor da sua sabedoria e calma que aparenta ter !Bjs Zé Al

    ResponderEliminar
  7. Olá minha amiga do carreiro mágico!

    Tudo muito bonito..tb adoro Peppino di Capri... bons tempos..dancemos ao seu som....

    Um beijo

    POTT

    ResponderEliminar
  8. Não conheço ninguém que tenha vivido nas terras Africanas que não sinta essa melancolia, essa saudade essa vontade de lá estar, mas temos de nos ambientar onde estamos quando não fica a tristeza,vale pelo que quem lá esteve ganhou em relação aos outros, a verdade a simplicidade a genuidade das pessoas algo que acabamos por perder quando nos agarramos ao material
    beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Belo texto. Como prenda, transcrevo de Sophia de Mello B. Andresen - MAR
    I
    De todos os cantos do mundo
    Amo com um amor mais forte e mais profundo
    Aquela praia extasiada e nua,
    Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

    II
    Cheiro a terra as árvores e o vento
    Que a Primavera enche de perfumes
    Mas neles só quero e só procuro
    A selvagem exalação das ondas
    Subindo para os astros como um grito puro.

    ResponderEliminar
  10. A propósito, de propósito e com propósito Munhamade! Prenda maravilhosa este poema de Sophia de Mello B.Andresen. Um beijo Migá

    ResponderEliminar
  11. Madalena:
    "Onde todos os caminhos se cruzam e a Zambézia se abraça". Olá Mocubense/Zambeziana, fiquei feliz por te ter aqui na minha palhota. Acho que já ganhei o dia!! Tanho muitos amigos a antigos colegas de Mocuba. O meu irmão tb é teu "patrício". Boa gente!! Beijinhos e um xi-coração grande e..tátá, minha linda, Graça

    ResponderEliminar
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  13. Muito obrigada pelo poético comentário deixado no meu post.Adorei!!! Espero você por lá. Vai ser um prazer.
    Parabéns por essa "Melancolia"!!! Sem contar as palmas para o fundo musical. Lindo!!!
    Graça, me encantei pelo Zambeziana e fiquei.rsPassei a seguí-lo.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  14. O teu texto é muito muito belo, Graça. "O coração nunca envelhece e o meu, morre jovem." Que esperança bonita, Graça! Vi por aí escrito que és prima do Altino. Será quem eu estou a pensar: cirurgião?
    A propósito: a zona ribeirinha do Montijo também "dá" "pores-de-sol" muito muito bonitos.
    Obrigada pela visita à minha palhota! Tá-tá. beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Madalena:
    Tu não me digas que comheces a meu primo Altino? Sim, cirurgião... Realmente, vou repetir-me: este mundo é uma aldeia! E o que iremos, em conjunto descobrir mais? Vou estar mais vezes contigo...Um beijão e tá-tá. Graça

    ResponderEliminar
  16. Graça, teu texto é de uma beleza incomparável. Li, reli, tornei a ler de novo e continuo a viajar neste texto, querendo estar contigo lá, na tua terra, no interior do teu coração. Mais do que as palavras, tão lindas, tão sinceras, o texto mostra, expõe tua emoção. E como ela é imensa. E como ela te engrandece e a teu texto. Fizestes com que meus olhos ficassem húmidos. Com que meu coração te envolvesse e encheste meu peito de coragem. A coragem que tens de manter-te fiel à tua memória, às tuas paixões. Um verdadeiro encantamento, que bebo, para sentir o sabor de tua emoção. E o sabor, tua emoção, é doce...
    Beijo

    Rangel, do outro lado do Atlântico...cansado de poluição...querendo conhecer o Índico.

    ResponderEliminar
  17. Com o tempo quente

    tenho comportamentos idênticos aos que bem descreve.

    Bjs

    ResponderEliminar
  18. Oi, Zambeziana;

    Mas esta melancolia é bela de suportar!... Quantos não passam suas vidas, lutando para que a "senhora Melancolia" não os abandone, porque de melancolia vivem os seus sonhos.

    Lindo, mesmo muito lindo o que escreveste e que nos deixa já cheios de melancolia pelo próximo post... A isso chama-se ter saudades do futuro!.

    bjs, "menina",
    Osvaldo

    ResponderEliminar
  19. Graça querida
    Enquanto os olhos tiverem a capacidade de olhar alem e o coração guardar recordações e sonhos,somos e seremos livres para voar,e viver TUDO que nos apetecer.

    Sua gentileza é impar e deliciosa
    muito grata pelas visitas que me faz.
    grande abraço
    Denise

    ResponderEliminar
  20. É um texto de grande sensibilidade, mas também com muita força!

    Transporta-nos para saudosas paisagens distantes...

    As canções, que ouvi enquanto lia e escrevi a resposta, são alegres e têm a graça dum sorriso de mulher...

    Beijo.
    António

    ResponderEliminar
  21. É bom termos a capacidade de cicatrizar!!!
    É o crescimento do nosso eu!!
    É a vida que ensina!
    É saudade

    Abraço-te

    ResponderEliminar
  22. Olá!

    Gostei muito de ler o teu texto, mas tendo como música de fundo o fantástico Peppino di Capri, teve um sabor especial.Parabens.

    Eu adoro observar o pôr do sol, mas como o da tua terra natal ainda não vi igual...

    Um beijo

    Regina

    ResponderEliminar
  23. Agradeço, e retribuo a sua visita no blog. Fiquei muito feliz com a sua contribuição.
    Agora já estou novamente com o PC. Passe lá e traga um selinho para vc.Curiosa agradece as
    10.000visitas bem conquistadas.
    Com muito carinho
    Sandra

    ResponderEliminar
  24. Ès magnifica em tuas palavras.....numa prosa recheada de sentimentos e emoçoes....é um prazer vir aqui sempre...

    Ademerson Novais de Andrade

    ResponderEliminar
  25. Linda Amiga:
    Um texto profundo, numa escrita mágica de encantar.
    Sensível. Profundo. Perfeito, que parece versejar em prosa.
    Adorei. Fabuloso numa escritora de encantar e fascinar.
    Beijinhos de imenso respeito.
    Sempre a admirá-la e a estimá-la

    pena

    Genial, amiga! Adorei!

    ResponderEliminar
  26. Olá
    Como gostei do seu texto.Sei exactamente o que sente, pois também nasci na Beira e sinto o mesma melancolia.
    Agora que descobri este Blog, virei sempre que possivel fazer uma visita.
    Um beijo com carinho
    Teresa

    ResponderEliminar
  27. Feliz por ter mais uma singela amiga.Que texto bacana.Que seu coração esteja sempre jovem para nos p resentear com sua poesia e simpatia.Volte sempre. beijão

    ResponderEliminar
  28. Olá Graça,
    estou de férias e por isso também não visito tanto os Blogs.
    Mas este texto identificou-se muito comigo... só mesmo quem nasceu em terras africanas consgue entender este sentimento de 'melancolia'...nunca mais nos vai abandonar! E ainda bem, porque é sinal que já fomos muito felizes. Agora é viver um dia de cada vez... o Presente!

    Beijinho para si

    ResponderEliminar
  29. Há sempre melancolia dentro de nós, o que não quer dizer que signifique tristeza. A minha, recorda uma felicidade do tamanho do mundo que atravessou o equador para nunca mais me deixar.A todos e a cada um, em particular, o meu abraço pelos comentárioa aqui deixados...talvez num dia de melancolia. Graça

    ResponderEliminar
  30. Sei muito bem que é estar longe da nossa terra.
    E é assim mesmo, de vez em quando bate lá no fundo.

    Um beijo, menina!
    Adoro ler o que escreves.

    ResponderEliminar